México marcou decisão de título mais maluca da F1; relembre

compartilhar
comentários
México marcou decisão de título mais maluca da F1; relembre
25 de out de 2018 19:00

Em 1964, disputa a três teve acidente polêmico, quebra de líder na penúltima volta, ordem de equipe e feito histórico no esporte a motor

Neste final de semana Lewis Hamilton pode se sagrar campeão pela quinta vez na Fórmula 1 no circuito Hermanos Rodriguez, palco do GP do México. A pista recebeu sua primeira prova oficial de F1 no ano de 1963, e, devido a alguns hiatos, sediará neste final de semana sua 20ª corrida na história do mundial.

E nesta história, o título mundial foi definido quatro vezes no local. Em 2017 a favor de Lewis Hamilton, em 1968 a favor de Graham Hill, em 1967 a favor de Denny Hulme e no histórico ano de 1964, a favor de John Surtees.

Falaremos aqui justamente da primeira vez em que a prova marcou a decisão do campeonato. Em 1964, a Cidade do México foi palco de uma disputa a três pelo título mundial. Chegando para a última corrida na América do Norte, Graham Hill (BRM) liderava a tabela com 39 pontos à frente de John Surtees (Ferrari) com 34 e Jim Clark (Lotus) com 30.

Na época eram dados apenas nove pontos para o primeiro (o top-6 pontuava com 9-6-4-3-2-1), por isso a única chance de Clark era vencer a prova sem que Hill pontuasse e sem que Surtees fosse segundo. A missão de Surtees também não era fácil, descontar cinco pontos de Hill, que poderia andar mais tranquilo podendo garantir o título com um terceiro posto devido ao descarte (apenas os seis melhores resultados das dez etapas contavam para a tabela final).

Jim Clark fez a lição de casa: ele marcou a pole position e despachou a concorrência no início da prova com sua Lotus. O norte-americano Dan Gurney vinha atrás, com Graham Hill em terceiro e Lorenzo Bandini, companheiro de Surtees na Ferrari, em quarto. Surtees, que havia saído de quarto, caiu para trás no início após problemas na ignição de sue motor na primeira volta.

John conseguiu se recuperar até o quinto posto na volta 31, quando o incidente mais polêmico daquele campeonato ocorreu. Depois de diversas tentativas de passar Hill (que chegou a reclamar da conduta do rival com gestos), Bandini arriscou de vez uma manobra pelo terceiro posto na curva do hairpin e bateu no britânico. A BRM rodou e colidiu de traseira com o guard-rail que havia ao lado da pista e teve seu sistema de escapamento avariado. Ambos continuaram, mas Hill perdeu bastante potência em seu motor e rapidamente saiu da zona de pontos.

Com isso, o título ficava nas mãos de Jim Clark, que liderava a prova solitário na frente. No entanto, também não foi o dia de sorte do escocês. Ele parou na penúltima volta com problemas em seu motor após um vazamento de óleo que durou por várias voltas. Assim, na última volta, a Ferrari aproveitou sua última oportunidade de dizer a Bandini para ceder seu segundo lugar para Surtees e só assim tirar o título de Hill, que caíra para o 11º lugar. Todos os mecânicos subiram no muro para indicar ao italiano não fechasse a corrida em segundo.

Com isso, Surtees garantiu seu primeiro e único título mundial uma volta depois, se tornando assim o primeiro e único homem a ser campeão mundial de motociclismo (3x 350cc e 4x 500cc) e campeão mundial na Fórmula 1.

O campeonato também marcou a primeira vez na história da F1 que o campeão marcou menos pontos que o vice, com Hill ficando com 39 e perdendo dois pontos de um quinto lugar, já que apenas os seis melhores resultados da temporada valiam. Surtees foi o campeão com 40 pontos.

E, como não poderia ter sido diferente, Hill não ficou nada satisfeito por ter sido acertado por Bandini. O britânico acusou o italiano – à época conhecido por ser impulsivo na pista – de bater de propósito, mas nada pôde fazer. A prova mexicana coroou um campeão lendário e entrou para a história com a decisão mais maluca da F1.

Next article
Após "festa" por vitória, Kimi não vê experiência como trunfo

Previous article

Após "festa" por vitória, Kimi não vê experiência como trunfo

Next article

Hamilton: "Nos anos 50 eu não poderia correr por ser negro"

Hamilton: "Nos anos 50 eu não poderia correr por ser negro"
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do México
Tipo de matéria Conteúdo especial