Grid pode chegar a ter apenas 14 carros em 2015, alerta Ecclestone

Promotor da Fórmula 1 pediu que a categoria "se livre" dos motores que estrearam nesta temporada

A Fórmula 1 terá o menor grid desde 2005 quando alinhar para o GP dos Estados Unidos neste domingo com apenas 18 carros, mas o promotor da categoria, Bernie Ecclestone, acredita que a situação pode piorar ainda mais na próxima temporada.

[publicidade] Depois que Caterham e Marussia decidiram não participar das etapas de Austin e do Brasil devido a problemas financeiros, o inglês alertou que outros times também estão com problemas.

“Podemos ficar com 14 carros. Se perdermos outros dois times, isso vai acontecer. Não posso prever se vai ou não acontecer. Mas se tivermos 18, não é nenhum drama”, afirmou à Sky Sports.

A questão é a necessidade de ativar uma cláusula nos contratos dos times grandes, que precisariam correr com três carros caso o grid não atinja um número mínimo de participantes. Porém, como os contratos são sigilosos, não se sabe ao certo qual seria esse número.

Perguntado sobre as equipes nanicas, Ecclestone disse que a Fórmula 1 “precisa delas se elas tiverem uma performance mínima e não fiquem por aí implorando por dinheiro. Precisamos mudar as regras, nos livrarmos destes motores porque eles não ajudam ninguém, eles não são a Fórmula 1”, reclamou o dirigente, sempre crítico dos motores que estrearam neste ano e são apontados como um dos motivos pela crise financeira devido a seu alto custo.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias