Grosjean: Lotus "não merece calvário"

Francês, de saída da equipe, afirmou que escuderia não merece passar pelos apuros financeiros que vem enfrentando no final da temporada

O material da Lotus só chegou para o GP de Abu Dhabi nesta quinta-feira pela manhã, deixando mecânicos em situação difícil para abrir os trabalhos do fim de semana.

Não é a primeira dor de cabeça que o time de Enstone tem dores de cabeça durante a temporada. Na Hungria, houve atraso para adquirir os pneus da Pirelli, por causa do pagamento, carros apreendidos na Bélgica, material também chegando tarde no Japão e seguranças bloqueando sua garagem em Interlagos.

Quando perguntado sobre todos esses problemas que afligem a equipe, o francês Romain Grosjean, que faz sua última prova pela Lotus, afirmou.

"Conseguimos correra a tempo para colocar o carro na pista. Contanto que ele esteja pronto para o segundo treino livre, eu estou feliz, por isso vamos tentar esquecer isso."

"Mesmo com problemas em Suzuka e no Brasil, conseguimos participar e correr normalmente."

"O trabalho dos rapazes fica mais árduo e eles não merecem esse calvário. Eles darão seu máximo e certamente vamos tentar marcar pontos."

Difícil adeus

O GP de Abu Dhabi será o último de Grosjean pela Lotus. A partir de 2016 ele será o piloto principal da Haas F1.

"É a primeira vez na minha carreira que mudo de equipe, isso é algo novo", ele disse. "A primeira vez que fui a Enstone foi em 2005 e desde então aprendi muito."

"Por isso fazer essa última corrida no domingo, pra mim será muito difícil. Por outro lado, quero dar o máximo e conseguir pontuar."

"Quero agradecer muito a equipe. Passamos por momentos bons e ruins e aprendemos muito. Foi uma experiência agradável, por isso estou ansioso para a próxima na Haas."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento Abu Dhabi GP
Pista Yas Marina Circuit
Pilotos Romain Grosjean
Equipes Team Lotus
Tipo de artigo Últimas notícias