Grosjean pede mudanças em pneus de chuva: “muito ruins”

Romain Grosjean questiona eficiência dos pneus de chuva da Pirelli após bater na volta de instalação do GP do Brasil

O lance inusitado do GP do Brasil, realizado no último domingo (13), aconteceu antes mesmo da largada: Romain Grosjean, ao se encaminhar para o sétimo lugar no grid de largada, bateu na curva do Café e sequer largou. 

Após os acidentes de Marcus Ericsson e Kimi Räikkönen, já durante a prova, levaram Grosjean a questionar a eficiência dos pneus de chuva da Pirelli.

“Honestamente, eu não sei o que aconteceu. Vi dois outros carros enfrentarem o mesmo problema, então precisamos aperfeiçoar os pneus de chuva. No meu caso, eu nem estava forçando o ritmo - o que mostra que os pneus de chuva são muito ruins, não há aderência", disse.

"Você precisa arriscar demais, você não consegue controlar o carro em linha reta. Fui de herói a vilão em menos de 24 horas. Tínhamos uma boa posição de largada, eu estava apenas me encaminhando para o grid, subindo para lá e nem estava com o pé embaixo", afirmou.

"As rodas traseiras derraparam demais e o carro rodou. Foi como se tivesse virado a chave e ligado algo, não havia nada que eu pudesse fazer para controlar o carro", acrescentou.

Ericsson - que, diferente de Grosjean, bateu com os pneus intermediários, culpou o acúmulo de água pelo acidente, ressaltando que nenhum tipo de pneu resolveria o problema naquele momento.

“Nas curvas, tudo estava bem. Mas aí você chega na curva 12 e no caminho para a linha de chegada havia muita água acumulada", disse o sueco. "Vimos três carros perdendo o controle praticamente em linha reta. Mas não sei se faria diferença ter intermediários ou pneus de chuva, pois vimos carros se perdendo ali com os dois compostos", completou.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pista Interlagos
Pilotos Romain Grosjean , Marcus Ericsson
Tipo de artigo Últimas notícias