Grosjean se mostra aliviado ao encerrar “espiral negativa”

compartilhar
comentários
Grosjean se mostra aliviado ao encerrar “espiral negativa”
Por: Ben Anderson
Co-autor: Oleg Karpov
3 de jul de 2018 20:24

Piloto da Haas na F1, Romain Grosjean afirmou que o quarto lugar obtido no GP da Áustria encerrou uma “espiral negativa” de acidentes e corridas duras.

Romain Grosjean, Haas F1 Team
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18, leads Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-18, to the grid
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1

Os 12 pontos que Grosjean coletou no Red Bull Ring encerraram um jejum de pontos que durava desde o GP do Japão de 2017.

Grosjean vinha sendo pressionado nesta temporada após acidentes e erros, mas teve um “fim de semana perfeito” na Áustria, ficando entre as duas Red Bull na classificação e obtendo o melhor resultado que podia na corrida – sendo que os pilotos da Mercedes e Daniel Ricciardo abandonaram com problemas mecânicos.

Grosjean disse que sua corrida era “o que ele precisava” e foi importante para “encerrar a espiral negativa e iniciar novamente uma positiva”.

“Antes da corrida, eu queria deixar meus filhos orgulhosos. Eles assistiram à corrida e ficaram orgulhosos”, disse Grosjean.

Leia também:

“Estou muito, muito feliz com isso, e muito felizes pelos rapazes, porque eles mereciam um resultado tão bom depois de todo o trabalho duro para preparar os carros e fazer os reparos depois dos acidentes. Aqui estamos.”

Grosjean recebeu diversas críticas por uma sequência de erros, incluindo um acidente atrás do safety car no Azerbaijão, o início de um acidente múltiplo na primeira volta da Espanha, e batendo na classificação e na largada da França.

Mas Grosjean considera que seu período de dificuldades de 2012, quando chegou a receber uma suspensão, foi mais duro do que o atual, além de destacar o apoio total da Haas.

“Acho que a equipe sempre me apoiou”, acrescentou Grosjean. “Quando todos estavam fazendo perguntas e dizendo ‘vocês vão trocar Grosjean?’, a equipe sabia que tivemos duas temporadas soberbas.”

“Obviamente, esta não começou como queríamos, mas eu não perdi confiança.”

O chefe da Haas, Gunther Steiner, afirmou que Grosjean foi rápido para deixar os incidentes no passado e sentiu que um grande resultado viria uma hora ou outra, já que o carro é competitivo.

“Emocionalmente, depois do que aconteceu em Baku e Barcelona, com certeza as emoções estavam em alta, mas acho que ele se recompôs muito rapidamente”, disse Steiner.

“Falamos sobre isso e dissemos: ‘continue fazendo o que você está fazendo e tudo virá até nós’.”

“Sempre dissemos que lhe damos nossa confiança. Ele nos fez bem por um longo tempo e sabíamos que ele voltaria a ser o Romain que era no ano passado.”

“Com certeza se ele tivesse 50 pontos agora, sua confiança estaria mais alta. Mas agora ele sabe que precisa trabalhar duro e que consegue marcar pontos.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Boullier deixa chefia da McLaren; De Ferran ganha espaço

Previous article

Boullier deixa chefia da McLaren; De Ferran ganha espaço

Next article

Pilotos duvidam de novo pacote aerodinâmico da Toro Rosso

Pilotos duvidam de novo pacote aerodinâmico da Toro Rosso

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Áustria
Localização Red Bull Ring
Pilotos Romain Grosjean
Equipes Haas F1 Team
Autor Ben Anderson
Tipo de matéria Últimas notícias