Grosjean volta a usar motor que explodiu no Canadá

compartilhar
comentários
Grosjean volta a usar motor que explodiu no Canadá
Por: Scott Mitchell
21 de jun de 2018 12:57

Haas foi informada de que propulsor não sofreu danos estruturais, de modo que voltará a utilizá-lo na sexta-feira na França

Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18 smokes in pit lane in Q1
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18 pit stop
Romain Grosjean, Haas F1 Team, is pushed into his garage after his car started smoking in qualifying
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18

Romain Grojean participará dos treinos do GP da França com o motor que quebrou durante a classificação da prova do Canadá.

Grosjean teve um novo motor Ferrari instalado em sua Haas em Montreal, que utilizava o último propulsor a combustão livre antes de uma punição, além de um MGU-H e um turbo.

A Haas temia que o problema espetacular do Canadá havia causado danos significativos e que, consequentemente, custaria um motor disponível e seus componentes relacionados da quantidade permitida.

A equipe foi informada pela Ferrari na semana passada que o motor não enfrentou danos internos no incidente da classificação.

Isso significa que o V6, o MGU-H e o turbo serão utilizados novamente em Paul Ricard, na sexta-feira.

O chefe da Haas, Gunther Steiner, explicou que um vazamento de óleo desencadeou a enorme nuvem de fumaça.

“Ele [o motor da classificação do Canadá] estará no carro novamente amanhã”, disse Steiner. “Não houve danos, o que é bom. É a última coisa que precisamos.”

“Ele voltou à Ferrari e eles fizeram inspeções. Diseram que não havia danos internos. Recebemos a notícia na sexta-feira, na última semana.”

“Tivemos de trazer um novo motor [no Canadá], mas no momento não prevemos uma punição para o motor e um dos componentes.”

Usar seu terceiro motor tão cedo deixa Grosjean em situação de punição iminente, especialmente quando a Ferrari introduzir um novo e atualizado motor no fim do ano.

Contudo, manter o segundo motor dá a ele e à equipe maior flexibilidade para usar sua próxima alocação para o restante da temporada.

O problema com o motor no Canadá foi mais um revés em uma temporada de 2018 difícil para Grosjean, sendo que, no começo daquela semana, ele havia atropelado um castor.

Ao largar do fundo do grid, Grosjean ficou condenado a continuar sua temporada sem pontos.

Antes da corrida de casa de Grosjean, Steiner disse: “Sua competitividade no Canadá foi boa, então ele está de bom humor.”

“Se você atropelou um castor, o que pode fazer? Você pode ficar chateado, mas não ajuda em nada. E o problema do motor não foi culpa dele.”

“Ele recuperou sua confiança depois do que aconteceu em Barcelona e Baku. Ele estava muito feliz com o carro, estava muito confortável. Foi apenas o resultado que não veio.”

“Ele está ansioso para voltar à pista novamente amanhã.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Especial: O truque em Paul Ricard que quase chocou a F1

Previous article

Especial: O truque em Paul Ricard que quase chocou a F1

Next article

Empresário de Verstappen desmente veto da Red Bull no Canadá

Empresário de Verstappen desmente veto da Red Bull no Canadá

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Romain Grosjean
Equipes Haas F1 Team
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias