Guerra de pneus atrapalharia disputas na F1, diz Pirelli

compartilhar
comentários
Guerra de pneus atrapalharia disputas na F1, diz Pirelli
Por: Lawrence Barretto
12 de jan de 2018 17:45

Para diretor esportivo da fabricante italiana, uma entrada de uma nova fornecedora aumentaria custos e prejudicaria a competitividade

Pirelli Tyres
The new 2018 range of Pirelli F1 tyres, the pink Hypersoft tyre at the front
Mario Isola, Pirelli Sporting Director in the Press Conference
Pirelli tyres
Pink side-walled Pirelli hyper soft tyre detail

Um possível retorno da “guerra de pneus” na F1 aumentaria os custos e espalharia ainda mais o pelotão, acredita o diretor esportivo da Pirelli, Mario Isola.

A Pirelli tem sido a única fornecedora de pneus da F1 desde que retornou à categoria, em 2011, e tem um acordo que vai até o fim de 2019.

A última vez em que a F1 contou com mais de uma fornecedora de pneus foi em 2006, a última temporada da rivalidade entre Bridgestone e Michelin.

Na última pesquisa global de fãs da F1, 69,4% das pessoas pediram por um retorno da competição entre fornecedoras.

Ao falar no palco durante o lançamento da Austosport International 2018, Isola disse que não pensa que haverá um retorno da guerra de pneus.

“É uma situação diferente. No momento, fornecemos o mesmo produto a todas as equipes. Colocamos todas as equipes no mesmo nível em termos de pneus”, disse.

“Se você abrir a competição, você aumenta os custos, porque é preciso testar. Você tem equipes de ponta com um produto melhor se comparado com as equipes mais abaixo, já que você não tem a obrigação de fornecer os mesmos pneus a todos.”

“Você cria um diferencial entre as equipes de ponta e as outras. Talvez com duas ou três fornecedoras é possível ter algumas equipes lutando na ponta, mas o resto estará sofrendo por performance.”

“Com o pneu, você facilmente consegue encontrar 0s5 ou mais, então você cria uma maior diferença em comparação a agora.”

Depois de uma das temporadas mais competitivas na história recente, em 2017, Isola disse que havia muitos motivos para estar otimista para a campanha deste ano.

“O último campeonato não foi ruim. Havia duas equipes, Mercedes e Ferrari, lutando”, disse. “Havia também a Red Bull, que foi forte no fim da temporada.”

“Neste ano, espero que essas três equipes, mais algumas outras surpresas. Tenho certeza de que a Renault será mais competitiva em comparação ao ano passado. Provavelmente a Force India também.”

“Espero que tenhamos um campeonato interessante.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Webber: Programa de pilotos da Red Bull “amoleceu”

Previous article

Webber: Programa de pilotos da Red Bull “amoleceu”

Next article

Steiner diz que nenhum piloto americano está pronto para F1

Steiner diz que nenhum piloto americano está pronto para F1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Lawrence Barretto
Tipo de matéria Últimas notícias