Haas esclarece posição de seu time sobre pilotos americanos

Gene Haas disse que equipe não está pronta para receber um americano que ainda não tenha experiência na F1

Gene Haas fez questão de esclarecer a posição de sua equipe quanto à possibilidade de contratar um piloto americano para a F1 no futuro, após os comentários feitos pelo chefe da operação, Gunther Steiner.

Steiner disse ao Motorsport.com que a Haas gostaria de colocar um piloto americano em uma de suas vagas, mas que isso não estava no topo de suas prioridades, já que o time ainda é novato na F1, com apenas dois anos de experiência.

Em seguida, disse que sentia que não havia um piloto americano pronto no momento para a F1, o que provocou críticas de nomes como Gil de Ferran e Mario Andretti.

Ao comentar as declarações de Steiner e as reações, Haas disse: “Gunther foi perguntado sobre ter um piloto americano na F1, e, mais especificamente, com a equipe Haas.”

“Ele respondeu ao dizer que aquilo não estava no topo de nossas prioridades, e as coisas tomaram um rumo diferente, já que as pessoas fizeram um monte de suposições.”

“O fato é que ainda estamos aprendendo aqui na F1, e trazer um piloto que precisa aprender sobre a F1 provavelmente não seja a melhor coisa para nós ou para eles.”

Haas disse que a contratação de um americano segue sendo uma ambição, mas que sua prioridade era avançar no grid e ganhar terreno na F1 para garantir um futuro em longo prazo – e que, para isso, precisa de pilotos experientes na F1.

“Não estamos dizendo não a um piloto americano, mas a verdade é que os pilotos americanos que têm superlicença e que poderiam de verdade competir na F1 deveriam estar em uma equipe que pode lhe servir de referência em vez do contrário”, acrescentou.

“Agora, nós esperamos totalmente estar nessa posição um dia – de forma ideal, o quanto antes. Mas esse é só o nosso terceiro ano, e precisamos melhorar em uma série de áreas. Romain Grosjean e Kevin Magnussen estão desempenhando grande papel nessa melhora por causa de sua experiência.”

“Eles nos ajudam rapidamente a definir se o caminho que estamos seguindo é o correto ou se precisamos repensar nossa abordagem.”

“Essa experiência é incalculável, já que queremos nos tornar uma equipe que pode lutar por pódios em vez de apenas pontos.”

Haas, que é coproprietário da equipe Stewart-Haas, da NASCAR, disse que apoia pilotos americanos e sugeriu que os comentário de Steiner foram mal interpretados.

“Eu acredito em pilotos americanos. Minha equipe na NASCAR está cheio deles, e vencemos muitas corridas e campeonatos”, disse.

“Obviamente, a disciplina é diferente, mas, com certeza, há pilotos americanos competentes que possam competir na F1.”

“Mas não estamos prontos para isso ainda, e, com a limitação de testes que as equipes têm, fazer se acostumar alguém que não tem feito parte de um programa de desenvolvimento seria difícil. Acho que era isso que Gunther tentou dizer.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Haas F1 Team
Tipo de artigo Últimas notícias