Haas: mudança cedo no foco para 2018 atrapalhou

Chefe do time, Gunther Steiner, acredita que equipe acabou prejudicada em 2017 por filosofia a fim de evitar queda brusca no ano que vem

O chefe da Haas, Gunther Steiner, considera que a equipe provavelmente se prejudicou em 2017 pelo fato de ter voltado seu foco ao ano que vem de forma cedo demais.

Na metade do campeonato, a Haas era a sétima colocada no Mundial de Construtores, apenas quatro pontos atrás da Toro Rosso.

Ao fim da campanha, a Renault ultrapassou ambas, e a Haas ficou seis pontos atrás da Toro Rosso, em oitavo, o mesmo resultado que havia obtido em sua estreia, em 2016.

A Haas não escondeu o fato de que abandonou seu desenvolvimento em 2016 de forma muito cedo para se preparar para as mudanças aerodinâmicas em 2017. Contudo, neste ano, Haas admitiu que a mudança pode ter vindo cedo demais.

“Foi um pouco menos de altos e baixos [comparados a 2016], mas ainda foi a montanha-russa, particularmente na segunda metade da temporada”, disse Steiner.

“Com o desenvolvimento, acho que esperávamos mais, mas, novamente, estávamos plenamente cientes de que alteramos o foco cedo ao carro do ano que vem.”

“Analisando agora, faríamos algo diferente? Talvez desenvolveríamos um pouco mais o carro deste ano, mas não podemos voltar atrás.”

“É algo que está no meio termo, e não há uma resposta clara. Tivemos de focar no carro do próximo ano porque a última coisa que queremos é ter uma queda grande no ano que vem.”

“Então, estou bem confiante de que o carro do ano que vem será melhor. Caso contrário, não teríamos feito isso.”

Steiner está certo de que a Haas irá se beneficiar da estabilidade no regulamento técnico pela primeira vez em sua curta história.

“Eu não diria que é mais fácil, mas deixa o desafio um pouco diferente”, acrescentou.

“Você precisa focar no desenvolvimento em vez de se reinventar, então veremos como estamos nessa. Mas é um novo capítulo, e espero que seja um bom.”

“Fomos bem nos últimos dois anos como uma nova equipe ao produzir novos carros. Nunca fomos um desastre completo. Então, precisamos mostrar o quão bom somos no desenvolvimento de um carro com regras estáveis. Estou otimista quanto a isso.”

Ele admitiu que a Haas ainda precisa de mais consistência em performance, percebendo ocasiões em que “eram duas corridas no zero, e depois, de repente, voltava à janela novamente” – e isso fez com que pontos escapassem.

“Nossa base estava lá, mas ainda estivemos em uma montanha russa – eu diria menos na primeira parte da temporada, porque pontuamos em várias corridas”, disse Steiner.

“Marcamos pontos em mais corridas neste ano do que no ano passado, o que mostra que nós melhoramos nos altos e baixos.”

“Mas não foi bom o suficiente para estar consistentemente nos pontos, e você precisa estar consistentemente nos pontos para subir na tabela.”

“Os três ou quatro eventos em que deixamos de pontuar por causa de quebras nos custaram bastante.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Haas F1 Team
Tipo de artigo Últimas notícias