Hamilton admite dilema com sua permanência na Fórmula 1

Piloto da Mercedes admitiu que está lutando contra um dilema pessoal sobre seu futuro na Fórmula 1, pois quer continuar, mas não quer continuar perdendo as outras experiências de vida

O contrato de Lewis Hamilton com a Mercedes acaba no final da próxima temporada, e espera-se que as conversas para um novo acordo de dois anos comecem nas próximas semanas.

Mas, embora seja considerado altamente provável que Hamilton e Mercedes concordem com os termos, o britânico confessa que parte dele quer começar a explorar outras oportunidades longe da pista de corrida.

"É como o clima. Trata-se de tentar encontrar o equilíbrio", disse Hamilton durante uma entrevista com mídia selecionada, incluindo o Motorsport.com sobre seus pensamentos em relação ao seu futuro.

"Atualmente, tenho um ano com o time e quero continuar. Mas, estou nesse ponto onde há essa pergunta".

Hamilton está atraído por fazer coisas com sua vida bem longe da pista, mas está em conflito porque sabe que, se sair da F1, vai sentir falta.

"Você não pode voltar para a F1. O que quer que aconteça, você vai sentir falta. Se é no próximo ano, se já faz cinco anos, você vai sentir falta quando terminar”.

"Você permanece o tempo que puder - eu não tenho certeza sobre isso exatamente, mas há muita vida deixada além disso. Há coisas que eu perdi na vida”.

"Eu estava conversando com meu melhor amigo outro dia sobre coisas que eu invejo ou anseio, como viver em um lugar, ter uma rotina, essa é minha academia, tenho noite de jogo com meus amigos aqui, minha família. Todos os anos eu permaneço no esporte, atraso essas coisas. Mas a partir dos 40 há tanto tempo para isso".

Hamilton disse que não perder as outras coisas que ele quer fazer na vida foi trazido à realidade pela recente morte de uma tia.

"Minha titia morreu de câncer e no último dia de vida ela disse: ‘Trabalhei todos os dias com o plano de parar um dia e fazer todas essas coisas diferentes, e então fiquei sem tempo’. Então eu estou lutando com isso na minha mente”.

"Eu vivo minha vida dia a dia e tento viver o máximo. Então é com isso que estou lutando - Eu quero continuar correndo, mas há outras coisas que eu quero fazer. Eu quero meu bolo e eu quero comer. Eu só quero ter certeza de escolher o momento certo, mas acho que vou".

Hamilton diz que ele não tem interesses em uma carreira política, mas diz que há muitas coisas culturais nas quais ele quer se envolver.

"Eu acho que sou uma grande parte da cultura trazida para a F1. Apreciando isso em outros locais. Admirando isso ... O material de caridade que fiz antes, mas estou realmente começando a me concentrar no futuro e de como o meu tempo chegará ao fim na F1, colocando as coisas no lugar daquela parte do meu futuro".

Ele acrescentou: "Eu descobri essas outras forças e qualidades e não me importo que comece com uma empresa no fundo e que esteja no caminho do meu trabalho, se é o que acabarei fazendo”.

"Não me importo de fazer um estágio. Estou entusiasmado com a aprendizagem de novos ofícios. É excitante, é arriscado e eu gosto da ideia. É diferente se você se preocupa com a pensão e não tem a estabilidade financeira. Isso ajuda. É só porque é emocionante. O que eu vou fazer?"

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Lewis Hamilton
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias