Hamilton destaca "ano de aprendizado" e se vê mais forte em 2012

Concentrado apenas nos bons resultados que teve no ano, inglês afirma que "precisava" passar por momentos difíceis

Hamilton é o quinto no Mundial

Em clima de balanço geral na temporada, Lewis Hamilton afirmou que prefere ver o lado positivo de 2011. Apesar de ser apenas o quinto colocado no campeonato e de ter que se confirmar a ficar pela primeira vez atrás de um companheiro de equipe ao final de um ano, o inglês comemora o aprendizado.

“Estava conversando com um amigo muito inteligente sobre como esse ano foi difícil e ele disse que não tinha sido difícil, tinha sido um ano de crescimento. Achei muito interessante. Acho que vou sair mais forte disso, olhar para trás no futuro e sorrir quando lembrar. Eu precisava disso.”

O piloto da McLaren comemorou as vitórias na China, na Alemanha e no Brasil, “um número menor apenas que um piloto”, lembrou, referindo-se a Sebastian Vettel.

“Gosto de pensar nas coisas boas que fiz. Ganhei três GPs, o que foi menos do que eu queria. Foram corridas positivas em que consegui me sobressair e chegar onde devo estar.”

Mesmo feliz com as corridas, Hamilton não esconde que seu momento está mais voltado para a vida pessoal.

“Nem cheguei a pensar sobre a última vitória. Desde a quarta-feira depois da prova, já comecei a me preparar no simulador e pensar nessa corrida. Mas tive alguns momentos positivos desde aquele dia que significaram mais para mim do que aquela vitória. Estou com uma energia muito positiva no momento.”

O campeão de 2008 revelou ainda qual é a surpresa que havia prometido ao TotalRace em Abu Dhabi.

“Sou um grande fã de Ayrton. Vou usar um capacete especial neste final de semana, que é uma mistura entre o capacete dele e o meu. Claro que pedi a permissão da família para fazer isso. Usei o logo velho na parte de trás do meu capacete, não o novo, porque quando eu era criança ele usava a camiseta com o S do Senna e queria isso no meu capacete. Isso vai ser leiloado para caridade e espero que seja por uma boa causa.”

O inglês só não se animou muito para fazer sobre o grande colar em formato de terço que usava no pescoço. “É um presente, um assessório. Todos usamos acessórios. Foi um presente que a Nicole me deu”, referindo-se à ex-namorada Nicole Scherzinger.

Perguntado se seria religioso devido à cruz no colar, Hamilton se limitou a dizer que “sim, católico”. Recentemente,  rumores davam conta de que o piloto havia se convertido à cientologia.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pilotos Lewis Hamilton
Tipo de artigo Últimas notícias