Hamilton pede pela inversão do circuito de Sochi no futuro

compartilhar
comentários
Hamilton pede pela inversão do circuito de Sochi no futuro
Scott Mitchell
Por: Scott Mitchell
2 de out de 2018 10:00

Inglês acredita que pista ao contrário poderia melhorar as possibilidades de ultrapassagem

Vencedor do GP da Rússia, Lewis Hamilton acredita que o circuito de Sochi deveria ser mudado para melhorar a qualidade das corridas, sugerindo até que a pista passasse a ter seu sentido contrário.

Apesar de apenas dois GPs na Rússia terem sido vencidos pelo piloto que largou na pole position, as provas contaram com poucas ultrapassagens e foram criticadas por serem entediantes.

Hamilton disse que o traçado precisaria ser alterado e que a F1 deveria considerar uma mudança usada.

“É um lugar realmente bonito em Sochi. Em uma única volta, quando você está sozinho na pista, é legal, mas não é nada bom para as corridas.”

“Há as longas retas, mas as características do circuito significam que os dois primeiros setores são bem velozes.”

“E no último setor os pneus traseiros ficam muito quentes. É impossível seguir outro carro, então você não consegue se aproximar para ter uma tentativa.”

Ele acrescentou: “Eu estava dizendo que eles deveriam usar a pista no sentido contrário. Vá ao contrário e você terá setores lentos no começo e depois setores rápidos.”

“Não sei se fará diferença. Mas, caso contrário, eles teriam de mudar a pista para deixá-la mais propícia para as corridas.”

O circuito de Sochi foi desenhado ao redor do Parque Olímpico, construído em 2014 para os Jogos de Inverno.

Alexey Titov, diretor executivo da empresa que organiza o GP, disse ao Motorsport.com no começo do ano que houve discussões sobre mudanças, mas que elas seriam implementadas após 2018.

Hamilton disse que pediu um simples ajuste ao diretor de provas da FIA, Charlie Whiting, para a corrida deste ano.

“Perguntei a Charlie se ele poderia trazer o DRS um pouco antes, porque isso poderia encorajar ultrapassagens”, disse Hamilton.

“Você precisa ser 1s4 mais rápido que o carro à sua frente para ultrapassar. Há circuitos que exigem uma diferença muito menor para ultrapassar.”

Whiting explicou que o pedido por uma alteração no DRS foi feito durante o briefing dos pilotos, e, portanto, tarde demais para ser implementado.

“Se mostrou algo impossível de ser feito da noite para o dia”, disse Whiting. “Há muitos sistemas que precisariam ser mudados.”

“A 700 metros, é uma zona de DRS bem normal. Mas acho que há uma peculiaridade com os pneus e como eles trabalham nesta pista em particular. Acho que é isso que tornou tudo mais difícil.”

“Vamos olhar o que podemos fazer para o próximo ano e estaremos discutindo outras razões para ver por que isso não funcionou bem aqui.”

Inverter o circuito representa outros desafios logísticos, com muitos elementos, como zebras, postos de fiscais, áreas de escape e barreiras sendo desenhadas e posicionadas pensando especificamente no circuito com a configuração atual.

Ele teria de ser homologado novamente pela FIA e, possivelmente, ter a mudança permanente, assim como aconteceu com Misano, na Itália, em sua grande reforma em 2006.

Reportagem adicional de Adam Cooper

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09

Photo by: Andrew Hone / LAT Images

Próxima Fórmula 1 matéria
Honda vai tentar usar atualizações no GP do Japão

Previous article

Honda vai tentar usar atualizações no GP do Japão

Next article

Marko descarta Vandoorne na STR: “Não é rápido para a F1”

Marko descarta Vandoorne na STR: “Não é rápido para a F1”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Lewis Hamilton Shop Now
Equipes Mercedes Shop Now
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias