Haug se diz contra equipes grandes venderem seus carros às pequenas

Vice-presidente de automobilismo da Mercedes acredita que ideia, que está em discussão, é prejudicial à F-1

O vice-presidente de automobilismo da Mercedes, Norbert Haug

Em um ano importante no cenário político da F-1, no qual estão sendo discutidas as bases do novo Pacto da Concórdia, contrato que define a distribuição de dinheiro entre as equipes e as entidades regulamentadoras da categoria, o vice-presidente de automobilismo da Mercedes, Norbert Haug se declarou a venda de chassis por parte das equipes.

“Em linhas gerais, acho que a F-1 tem uma herança e uma história. Simplesmente não acho que uma Lotus deveria ser uma McLaren ou uma HRT deveria ser uma Ferrari. Isso já esteve e está em discussão”, afirmou durante evento da associação das equipes, a FOTA.

O alemão acredita que tal decisão minaria as chances dos construtores que decidissem seguir fazendo seus próprios carros, já que estariam lutando apenas contra Ferraris e McLarens, por exemplo.

“Precisamos respeitar equipes como a Williams, de grande sucesso, e os independentes, como a Sauber. Acho que eles têm o direito de construir seus próprios carros e estariam interessados nisso – é uma parte muito, muito importante para a F-1.”

Outra questão levantada por Haug é em relação ao preço que seria cobrado por estes carros. Para o dirigente, talvez por isso a ideia nunca tenha saído do papel.
“À primeira vista pode parecer mais barato, mas se olhar cuidadosamente, não é necessariamente assim – não é a solução ideal. Se fosse, todos teriam escolhido esse caminho.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias