Herbert pede que Liberty não ceda pressões de times grandes

Ex-piloto fala que novos donos da Fórmula 1 devem prestar atenção nos times menores que lutam para sobreviver

Para o ex-piloto e atual comentarista da TV inglesa Sky Sports, Johnny Herbert, a Fórmula 1 precisa prestar mais atenção nos times menores ao invés de dar privilégios às equipes  grandes. Para ele, só isso fará a categoria ser mais saudável.

"Em muitos aspectos, as equipes menores são mais importantes do que as equipes maiores", disse Herbert ao The Guardian.

"Elas são o coração e a alma do esporte. Force India e Williams fazem um trabalho brilhante. Pelo que gastam em uma temporada, fazem um trabalho melhor do que a Mercedes. Mas não ganham.”

"Você precisa da distribuição de pagamentos por todo o grid. Se as equipes maiores não gostam, e ameaçarem ir embora, a Liberty Media estaria certa em pressioná-las. Eles estariam fazendo isso pelo bem da F1."

O presidente da Liberty, Greg Maffei, já sugeriu que os pagamentos de bônus dados à Ferrari podem ser redistribuídos, mas o Pacto de Concórdia com as equipes está programado para ir até 2020. O presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, advertiu que levantar uma discussão como essa seria "imprudente" e já solicitou esclarecimentos sobre os planos para o esporte além de 2020.

"O que acontece é que a Ferrari sempre vai conseguir mais patrocínios do que as outras equipes”, prosseguiu Herbert.

“Dar a eles o dinheiro de gestão de Fórmula 1 é completamente justo. Após isso, eles recebem dinheiro extra porque são famosos e porque têm patrocínio. Mas o problema fundamental é se você tem três vezes mais dinheiro que eu e tem um motor melhor, você tem uma grande vantagem. Há desigualdade entre os carros e os pilotos."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias