Holandeses se dividem sobre momento de Verstappen

Editor de F1 do Motorsport.com Holanda, Erwin Jaeggi explica se Max Verstappen ainda é considerado um piloto que precisa aprender ou se é um gênio incompreendido

Desde 2015, poucos pilotos estiveram mais vezes na mira da imprensa e dos fãs do que Max Verstappen. Chegando à Fórmula 1 com apenas 17 anos, mostrando arrojo e, ao mesmo tempo, inexperiência, o nome do holandês sempre é acompanhado de elogios ou críticas severas.

Em 2018, em sua quarta temporada na principal categoria do automobilismo mundial, ele voltou a ser o centro das atenções nas últimas duas provas, nos GPs do Bahrein e China.

No Oriente Médio, um encontro não amigável na pista com Lewis Hamilton e quase a repetição na China, acompanhada com um toque que fez ele e Sebastian Vettel rodarem, voltaram a colocá-lo entre a cruz e a espada.

Mas como estará o cartaz de Max Verstappen em seu próprio país? O Motorsport.com Brasil pegou uma ponte aérea e conversou com a versão holandesa do maior portal especializado em automobilismo do mundo.

Erwin Jaeggi, editor de Fórmula do Motorsport.com Holanda, deu seu parecer sobre como está a popularidade de Verstappen em seu próprio país.

“A reação do público holandês, em geral, está dividida”, disse Jaeggi. “Por um lado, você tem as pessoas que estão muito irritadas com o fato de Max não mostrar mais paciência nas corridas. Por outro, você tem os fãs que percebem que Max ainda é um cara jovem que ocasionalmente precisa aprender, como qualquer outro piloto.”

“Mas vimos isso no ano passado, especialmente após os incidentes da primeira volta na Espanha e na Áustria, duas corridas em que vimos uma enorme quantidade de fãs holandeses na pista.”

“Tivemos comentários de que Max precisava ser mais cuidadoso, não só para seu próprio benefício, mas também para todos os fãs holandeses que gastaram muito dinheiro para estarem nas corridas.”

“Devido aos incidentes de Verstappen no Bahrein e na China, este foi o assunto do dia novamente.”

Jaeggi também deu a dimensão do que hoje Max Verstappen representa na Holanda, sendo um bom substituto para outra paixão esportiva no país.

“Lembre-se que muitos holandeses só começaram a seguir a Fórmula 1 (novamente) depois que Max venceu o GP da Espanha de 2016, quando ao mesmo tempo, a seleção de futebol estava indo muito mal (nem sequer nos classificamos para o Campeonato Europeu que foi realizado naquele ano). Então, muitos fãs de esportes em geral se juntaram a essa discussão.”

Palavra de ex-piloto

Mas Erwin Jaeggi cita uma entrevista com o ex-piloto de F1, Jan Lammers, que esteve na categoria por seis anos, apoiando o piloto da Red Bull. 

Lammers exalta a ousadia de Verstappen e cobra mais crédito pelo que ele já fez na F1.

“Nós todos amamos Max porque ele tem coragem, está no limite e sempre dá tudo o que tem. Ele faz coisas incríveis e do jeito que ele guiou de trás do pelotão para a frente no Brasil [em 2016], todos achavam que foi ótimo. Você pensaria que, com base nesses momentos, as pessoas lhe dariam mais crédito.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Max Verstappen
Tipo de artigo Últimas notícias