Honda projeta ganho de 27 cv no motor para o GP do Canadá

compartilhar
comentários
Honda projeta ganho de 27 cv no motor para o GP do Canadá
Por: Edd Straw
Co-autor: Scott Mitchell
10 de abr de 2018 16:18

Equipe admite que tem grande margem de evolução no motor de combustão interna e no sistema de recuperação de energia

Toyoharu Tanabe, F1 Technical Director, Honda, celebrates a good result with Toro Rosso team mambers
The Toro Rosso team celebrate a 4th place finish
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda
Brendon Hartley, Toro Rosso STR13 Honda
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda, Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09
Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13
Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13 pit stop
Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR13 in the pits
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda
Toro Rosso Honda engineers celebrate a 4th place finish
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda, Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-18 Ferrari
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18 and Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13 battle

A Honda aumentará o desenvolvimento da performance de seu motor na F1 depois de marcar seus melhores resultados desde que retornou à categoria, em 2105.

O quarto lugar de Pierre Gasly no Bahrein, no último fim de semana, foi melhor do que qualquer outro resultado obtido pela McLaren nos três problemáticos anos de parceria. 

O diretor técnico da Honda na F1, Toyoharu Tanabe, disse ao Motorsport.com que quer que o resultado “nos dê muito mais energia para o desenvolvimento futuro.”

O Motorsport.com entende que a Honda está de olho em um ganho de cerca de 27 cv para o GP do Canadá, em junho.

Tanabe disse que o motor de combustão interna é “um dos maiores componentes para melhora do ponto de vista de desenvolvimento”.

Ele acrescentou: “Nosso desenvolvimento não é apenas confiabilidade. É performance. Precisamos encontrar o ponto de equilíbrio.”

“Quando você força demais para performance, você às vezes paga por isso. Ou você força pouco e ainda falha às vezes.”

“É difícil, mas tentaremos alcançar os dois.”

O diretor técnico da Toro Rosso, James Key, afirmou que a Honda tem “metas ambiciosas” e que pretende recuperar um “terreno notável” neste ano.

Além da tecnologia de combustão, a Honda ainda precisa melhorar nos sistemas de recuperaçãoo de energia de seu V6 turbo híbrido.

A energia do MGU-H e do MGU-K pode ser armazenada na bateria e devolvida ao MGY-K por um limite por volta. 

Contudo, o MGU-H também pode fornecer energia diretamente ao MGU-K de forma ilimitada, sendo que a Honda frequentemente sofre de falta de velocidade final na reta devido às limitações de seu conjunto.

Tanabe disse que era “muito difícil” dizer o quanto de progresso já foi obtido com seu sistema de recuperação de energia, mas indicou no Bahrein que conseguiu achar uma forma de maximizar a performance com o conjunto que está disponível atualmente. 

“Depois da sessão de sábado, nossos engenheiros discutiram como usar o sistema com os pilotos”, explicou.

“Decidimos uma estratégia detalhada e acredito que deu certo [no Bahrein].”

“Terminamos com os dois carros nessa corrida. Essa é uma das coisas mais importantes do fim de semana para nós. O quarto lugar que tivemos foi o resultado por terminarmos a corrida.”

Key disse que obter confiabilidade “sob controle” seria crucial para o plano de desenvolvimento da Honda, e que ficou entusiasmado com a resposta da Honda ao abandono e Gasly no GP da Austrália. 

Problemas com o MGU-H e o turbocompressor danificaram o motor de combustão interna do carro de Gasly, então a Honda lançou uma investigação em duas frentes, na pista e na fábrica, onde as peças foram enviadas para análises.

Isso fez com que a Honda corrigisse o problema a tempo para o Bahrein, sendo que os componentes de Brendon Hartley também foram trocados por precaução.

Tanabe não pôde dizer que os problemas foram corrigidos 100, mas, “das informações que temos, assumimos que já corrigimos”. 

Ele também revelou que os anos problemáticos com a McLaren ajudaram em uma recuperação rápida. “De nossa experiência desde 2015, tivemos muitas falhas. Essa experiência nos ajudou a corrigir o problema em um tempo curto.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Toro Rosso explica salto após GP da Austrália "horrível"

Previous article

Toro Rosso explica salto após GP da Austrália "horrível"

Next article

Brown assume papel de CEO em reestruturação da McLaren

Brown assume papel de CEO em reestruturação da McLaren

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Toro Rosso
Autor Edd Straw
Tipo de matéria Entrevista