Hulkenberg e Sainz fizeram "grande diferença" para a Renault

compartilhar
comentários
Hulkenberg e Sainz fizeram
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
Co-autor: Matt Beer
Traduzido por: Daniel Betting
1 de fev de 2018 08:44

Recrutar Nico Hulkenberg e Carlos Sainz fez uma "grande diferença" para a Renault, diz o diretor técnico do chassi, Nick Chester

Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team, the Renault Sport F1 Team team
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team and Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team at the Renault Te
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz debuta en el WRC
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17

Nico Hulkenberg deixou a Force India no final de 2016 para substituir Kevin Magnussen na Renault, e superou o colega Jolyon Palmer nos pontos antes que Palmer saísse para a entrada de Carlos Sainz.

Nick Chester, diretor técnico do chassi da Renault, disse que a principal contribuição de Hulkenberg foi dar à Renault uma referência confiável, e que Sainz multiplicou esse efeito.

"É extremamente importante. A verdadeira coisa sobre Nico é que ele é realmente consistente, é muito rápido e diz exatamente onde os problemas estão o deixando mais lento", disse Chester ao Motorsport.com.

"Ele diz: ‘Esta é a coisa mais importante para mim, se você trabalhar nisso, eu vou mais rápido’ e então você não precisa se preocupar com uma série de outras coisas”.

"Então, em termos de priorizar o que você faz, é superimportante”.

"E, em seguida, Carlos é praticamente o mesmo. Ele recebeu um bom feedback e é rápido, então, com os dois, temos uma informação realmente boa para trabalhar. Isso faz uma grande diferença".

Hulkenberg já começou 135 GPs, mas ainda não subiu no pódio e não guiou para uma equipe de trabalho antes de se juntar à Renault.

Sainz foi autorizado a deixar Toro Rosso para substituir Palmer antes do final da temporada, e terminou em sétimo em sua estreia na Renault em Austin.

"Ele gostou do carro imediatamente", disse Chester sobre Sainz.

"Ele podia sentir que tinha mais aderência e downforce, um equilíbrio ligeiramente diferente do que ele estava costumado, mas ele obviamente é muito bom e se adaptou muito rápido”.

"Agora ele está pensando muito e trabalhando com a gente realmente bem em como nós adaptamos o equilíbrio mais ao seu gosto e isso ajudará os dois carros".

Próxima Fórmula 1 matéria
Há 50 anos, as asas eram introduzidas nos carros da F1

Previous article

Há 50 anos, as asas eram introduzidas nos carros da F1

Next article

Ecclestone lamenta fim das grid girls: “Eram parte do show”

Ecclestone lamenta fim das grid girls: “Eram parte do show”
Load comments