Hulkenberg viu saída de Vasseur como "difícil de aceitar"

Ex-chefe de equipe da Renault elogia novo contratado da escuderia e acredita que alemão reúne condições de ser campeão mundial

Foi confirmado no início desta semana que Frederic Vasseur, chefe de equipe da Renault, não faria mais parte do time, com a escuderia falando em "consentimento mútuo."

O dirigente que teve Nico Hulkenberg competindo na Art Grand Prix pela F3 europeia e GP2, foi fundamental para convencer o alemão a se transferir da Force India para a Renault em 2017.

No entanto, Vasseur admite que Hulk não respondeu bem quando foi informado da notícia da saída do francês.

"Sou muito próximo a Nico e coloquei muitos esforços para conseguir que ele voltasse para a Renault", disse Vasseur ao Canal + Sport. "Acho que minha decisão de deixar a equipe foi melhor porque não estava funcionando, está claro."

"Nico e eu conversamos muito sobre minha saída, ele tem sido muito solidário. Foi difícil dele aceitar, mas ele está totalmente envolvido e vai dar o seu melhor. Essa é uma razão pela qual eu o queria na equipe."

"O time está sendo reestruturado e para mim era importante ter um líder, o que quer que aconteça, Nico vai atuar como líder e levar a equipe para a frente. Acho que ele é um fator crucial no sucesso."

Vasseur reafirmou sua crença de que Hulkenberg, que ganhou o título da GP2 com ART em 2009 antes de sua ida para a F1 no ano seguinte, tem potencial para ser campeão mundial.

"Acho que ele é um dos pilotos mais talentosos que vi nas categorias de base nos últimos 10 anos", disse Vasseur.

"Apenas três pilotos conquistaram o título da GP2 em sua temporada de estreia: Lewis Hamilton, Nico Rosberg e Nico Hulkenberg. Acho que Nico é um dos poucos pilotos que podem ganhar o campeonato mundial."

Relatos adicionais por Fabien Gaillard

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Nico Hulkenberg
Equipes Renault F1 Team
Tipo de artigo Últimas notícias