Ideia do Aeroscreen não está morta ainda, diz FIA

Entidade fala que não desistiu do conceito iniciado pela Red Bull no início do último ano, mas admite que tem preferência pelo Halo

Segundo a FIA, o Aeroscreen - uma alternativa para o polêmico Halo para proteger os cockpits de objetos externos - ainda não foi totalmente descartado.

Vice-diretor de prova da Fórmula 1, Laurent Mekies disse que a FIA está feliz com a forma como o trabalho no Halo progrediu, embora sua adoção agora dependa do que outras pessoas acham do dispositivo.

No entanto, ele disse que a possibilidade de um sistema Aeroscreen ainda não deve ser excluída, mas que o seu desenvolvimento não está tão avançado quanto o do Halo.

"Não, não está morto", disse ele durante o Autosport International Show na semana passada. "Tecnicamente, é possível.”

"Estamos esperando a última palavra de nossos patrões para saber se eles querem o Halo, se eles querem o aeroscreen, se eles querem algo intermediário, ou se eles querem algo mais esteticamente agradável – mesmo que haja um preço a pagar.”

"Tudo está na mesa, não há nada que consideremos impossível agora."

A F1 concordou em introduzir alguma forma de proteção nos cockpits para 2018, mas os detalhes ainda precisam ser finalizados.

Sobre esse processo, Mekies acrescentou: "É uma conversa filosófica. O trabalho de engenharia está feito. Alguém precisa decidir se é certo para a F1 ou não, se é compatível com o DNA.”

"O benefício de segurança está estabelecido. Depois disso, aceitamos que o F1 não é um carro fechado. Temos que prestar atenção neste aspecto, porque o esporte é isso. É o que está sendo discutido muito intensamente neste momento."

Reportagem adicional de Benjamin Vinel

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias