"Inspirador", Frank Williams completa 70 anos hoje

TotalRace conversou com personagens que fazem e fizeram parte da vida do dono de uma das mais vencedoras equipes da F-1

Frank Williams completa 70 anos hoje

Trabalhador, duro, apaixonado e, acima de tudo, inspirador. Frank Williams pode completar 70 anos hoje, mas segue impressionando com o vigor de um menino. O chefe de uma das equipes mais emblemáticas da história da F-1 continua o mesmo sujeito determinado que tornou sua equipe uma referência nos anos 80 e 90. E não quer largar o osso tão cedo.

Foi o que o TotalRace comprovou nas conversas na China durante a etapa da F-1, e em Curitiba durante a corrida da Stock Car, com personagens que fizeram e fazem parte desta trajetória vencedora.


Falando com exclusividade, a diretora de marketing e comunicações e filha de Frank Claire Williams garantiu que não há muita diferença entre o pai e o chefe.

“Ele é muito duro com seus filhos, faz com que eles trabalhem duro. Ele nunca facilitou. Mas é um ótimo pai. Acho que o principal é ele ter permitido que nós fizéssemos parte desse maravilhoso mundo da F-1. Tenho muito orgulho dele.”

Muito desse orgulho vem da vida pautada pelo trabalho. Frank construiu a Williams, hoje empresa que atua em diversos ramos, praticamente do nada. “Todo dia o vejo trabalhando. Ele está fazendo 70 anos e tem estado neste negócio desde o início dos anos 1960, sempre lutando para vencer. Ele é uma inspiração para mim e para muitas pessoas.”

Seu pai não foi à corrida da China pra comemorar o aniversário junto do paddock que tanto ama, mas acompanhar sua equipe de longe não faz o tipo de Frank, que, de acordo com Claire, estará presente no GP do Bahrein, semana que vem. “Ele não iria, mas agora decidiu ir. Ele odeia perder corridas, ficar assistindo pela TV em casa. Está muito animado para ir ao Bahrein.”

O dono da equipe, no entanto, deve ter gostado do que assistiu pela TV. Afinal, desde o GP do Brasil de 2010 não via seus dois pilotos dentro da zona de pontuação.  E ambos com muito orgulho de fazer bonito para o patrão.

“Frank é uma pessoa incrível. Acho que a determinação e a paixão dele pelo automobilismo é um negócio que inspira muita gente, tanto dentro quanto fora da equipe. As condições são muito difíceis e ele nunca desistiu”, elogiou Bruno Senna.

O piloto conhece o dirigente desde pequeno, mas apenas nos últimos anos tem tido uma relação mais próxima com o inglês, o que culminou com sua contratação, no início deste ano. “Com certeza eu o conheci quando era moleque, mas tinha oito ou nove anos e não foi uma introdução oficial. O conheci de verdade quando vim assistir uma corrida em Interlagos, em 2004. Depois falei mais com ele quando estava na GP2 em 2007, 2008. E, depois que cheguei à F-1, sempre encontrava com ele no paddock. Foi aos pouquinhos.”

O brasileiro destacou ao TotalRace o fato de Frank continuar, mesmo com a idade avançada e as barreiras físicas impostas por um acidente de carro em 1986, trabalhando duro pela equipe. “É um cara que está sempre na fábrica, sempre tem interesse nas reuniões e sabe de tudo o que está acontecendo. Acho que é um grande exemplo de força de vontade para todos.”

Essa determinação também é algo que espanta o companheiro, Pastor Maldonado, em seu segundo ano sob a batuta de Frank na equipe Williams. “Quando vou à fábrica, ele sempre chega antes e sai depois de mim. Estou contente em ser parte da história desta equipe, de pilotar para ele. Seus 70 anos são um momento histórico para a F-1.”

O venezuelano destaca o fato do patrão nunca ter desanimado, nem quando a equipe enfrentou a pior temporada da história, ano passado.

“É um homem que tem um espírito de competitividade, está cheio de vida. É um homem que dá toda sua energia a esta equipe e creio que essa seja a chave para o time. Mesmo com todos os problemas que estávamos tendo, tudo começa a funcionar melhor agora e ele é aquele que não parou nunca.”

Piloto da Williams entre 2004 e 2005 e um dos seis brasileiros a defender o time de Frank – além de José Carlos Pace, Nelson Piquet, Ayrton Senna, Rubens Barrichello e Bruno Senna – Antonio Pizzonia também destaca o espírito de superação do inglês.

“O Frank é um cara incrível, uma das pessoas com as quais eu tive muito orgulho de poder trabalhar junto pela história dele. Esse sim é a prova de que faz o que ama porque, até pelas condições físicas e financeiras, não precisava estar fazendo isso ainda. Ele é um cara aparentemente muito sério, mas tem um senso de humor incrível.”  

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias