Kobayashi aponta cenário caótico para equipes com motores Renault

Japonês acredita que sua Caterham é até 30km/h mais lenta nas retas e acusa problemas de dirigibilidade

Entre as quatro equipes que utilizam a unidade de potência da Renault, que vem acumulando problemas nos testes de pré-temporada, a Caterham é a que mais tem andado. Porém, Kamui Kobayashi revela que seu time também convive com a defasagem dos propulsores, e cria um cenário caótico para que usa o equipamento francês: o japonês acredita ser até 30km/h mais lento em retas do que os carros que usam motores Mercedes. Além da Caterham, Red Bull, Lotus e Toro Rosso utilizam os Renault.

“É o que temos em nossas mãos no momento, então temos de ajudá-los para conseguirmos lutar com os outros motores. No momento, definitivamente somos muito fracos em termos de ritmo, então damos toda a chance deles trabalharem enquanto nós trabalhamos em nosso carro. Então estamos esperando o sistema de motores”, afirmou o piloto.

“Durante os testes, encontramos outros carros e podemos ver claramente que os carros com motor Mercedes são muito mais rápidos nas retas, 20 a 30km/h a mais e isso pode significar pontos de freada diferentes, tudo. Veremos o que dá para fazer em pouco tempo. No momento, estamos definitivamente atrasados.”

É sabido que a Renault vem tendo problemas de software e no armazenamento da energia recuperada pelos sistemas que transformam energia cinética e calorífica em elétrica. Porém, Kobayashi revela que a dirigibilidade do motor também está longe do ideal.

“Tivemos vários problemas no motor. Basicamente é o que estamos esperando porque a retomada de potência é muito agressiva, tornando difícil manejar o carro na reaceleração. Então, no momento, as curvas de baixa são muito difíceis porque você não sabe quanta aderência terá.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Kamui Kobayashi
Tipo de artigo Últimas notícias