Kubica admite que muitos engenheiros estão deixando a Williams

compartilhar
comentários
Kubica admite que muitos engenheiros estão deixando a Williams
27 de nov de 2018 15:12

Polonês diz que equipe britânica não vem enfrentando momento fácil dentro da F1 e mantém pés no chão quanto a chances

Robert Kubica conseguiu na última semana confirmar seu retorno à Fórmula 1 depois de uma ausência de sete anos. Ele estará na Williams para correr ao lado de George Russell.

Embora a rotação de funcionários não seja algo incomum para equipes de F1 durante as férias de inverno, Kubica notou várias saídas em Grove em um momento em que a equipe precisa mudar sua sorte depois de algumas temporadas ruins.

"Não é um período fácil porque muitas pessoas estão saindo", disse Kubica.

"E é difícil encontrar bons funcionários quando eles percebem que a equipe não tem um carro veloz. A maioria das pessoas tem paixão e quer trabalhar nas melhores equipes".

O piloto de 33 anos também admitiu que ainda está no escuro quanto à identidade de seu engenheiro de pista para 2019, algo que ele esperava que já tivesse sido definido para que ele se familiarizasse com a pessoa que estará guiando seus esforços na próxima temporada.

"Este foi um dos principais tópicos antes de assinar o contrato", acrescentou.

“Mas ainda não recebi uma resposta. Tentei descobrir este fim de semana para poder trabalhar com essa pessoa nos testes, porque já é hora de começar a trabalhar bem."

Além da reestruturação da equipe, Kubica não espera nenhum milagre no início, quando a Williams alinhar no grid em Melbourne em pouco mais de três meses.

"Eu estive no paddock por muito tempo para me preocupar com um carro que só estará na pista no final de fevereiro. Porque isso não mudará nada", acrescentou.

"Em 2008, na BMW, estávamos quatro segundos atrás nos testes, mas em dois meses nós resolvemos a situação. A Williams está em uma situação diferente disso."

"Não haverá tais milagres. Abordo a próxima temporada de maneira muito realista.”

"Se estivermos em oitavo ou nono lugar na Austrália, será muito bom. Mas não cabe a mim definir esses objetivos."

Next article
Vettel bate Bottas e termina terça na frente; Fittipaldi é 8º

Previous article

Vettel bate Bottas e termina terça na frente; Fittipaldi é 8º

Next article

Vandoorne cita “política” e “falta de confiança” em saída da F1

Vandoorne cita “política” e “falta de confiança” em saída da F1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1