Kubica participará de três treinos livres de GP em 2018

Polonês explica que seu papel é ajudar a Williams ao longo deste ano, mas admite: “Eu preferiria estar aqui como piloto titular”

Robert Kubica pilotará em três treinos livres da temporada de 2018 da F1, o que inclui Espanha e Áustria, como parte de seu papel de reserva e de piloto de desenvolvimento.

O polonês tentou conquistar a vaga de titular ao lado de Lance Stroll, mas acabou superado por Sergey Sirotkin, de 22 anos.

Como parte do acordo, Kubica pilotará nos testes de pré-temporada em Barcelona, em outros testes que serão realizado com o campeonato já em andamento e em três treinos livres de GP em 2018.

“Farei três treinos livres”, disse Kubica, durante o lançamento da Williams. “Farei Barcelona, depois Áustria e depois mais um outro.”

“Farei alguns testes de pré-temporada, testes que acontecem durante a temporada. Era importante ter a chance de pilotar. Atualmente, as regras determinam que a pilotagem é limitada.”

“O simulador tem um papel importante, já que sou parte deste projeto, é importante construir uma ligação entre essa ferramenta e o mundo real.”

Kubica disse que seu foco principal será ajudar a equipe, mas que haverá um limite do que ele poderá fazer em termos de ser um mentor para os pilotos.

“Claro, eles fazem seus trabalhos e eu com certeza tentarei ajudar, mas nunca estarei em posição de ensiná-los – a menos que eles achem que eu possa ajudá-los”, disse.

“O mais importante é ajudara equipe e ajudar a equipe – caso contrário eu não estaria aqui.”

“No fim, uma vez que você está no mesmo barco, você trabalha na mesma direção. Uma vez que eu soube que eu teria esse trabalho, concordei comigo mesmo que é meu trabalho ajudá-los e apoiá-los.”

No ano passado, Kubica admitiu que tinha 90% de sua antiga habilidade em guiar um F1. Quando questionado pelo Motorsport.com o que ele precisaria para provar que tinha o necessário para garantir uma vaga de titular, disse: “O relógio está andando. Tenho 33 anos.”

“No inverno passado [na Europa] havia muita conversa sobre isso, muita gente dando ideias e me avaliando, mas o único que entende minhas limitações e minhas necessidades sou eu mesmo.”

“Antes de tudo, há um papel que eu estou ocupando neste ano e tenho que garantir que eu consigo entregar e ajudar a equipe a alcançar suas metas. Depois veremos o que o futuro trará.”

“Há 12 meses, ninguém diria que eu faria testes diferentes em 2017. Então, quem sabe o que o futuro trará.”

Ele acrescentou: “Eu preferiria estar aqui como piloto titular, mas, se você olhar por uma perspectiva diferente e ver onde eu estava há 12 meses, ninguém pensava que eu estaria em posição de guiar um F1.”

“Eu estava mais convencido que nunca que sou capaz de guiar um F1, mesmo que as limitações sejam bem grandes.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Robert Kubica
Equipes Williams
Tipo de artigo Últimas notícias