Largando logo atrás de Vettel, Massa descarta acidente proposital

Brasileiro diz que sempre foi honesto e atacará dentro do limite do regulamento. Vettel ficará de olho no retrovisor

Massa e Vettel, em disputa na Austrália

Depois de ajudar seu companheiro em Austin, quando, por decisão da equipe, Felipe Massa largou cinco posições atrás do que deveria, o brasileiro tem nova oportunidade de colaborar com o espanhol na luta contra Sebastian Vettel pelo título mundial. Massa largará em quinto lugar neste domingo, logo atrás do alemão, que não teve um bom treino.

Com isso o brasileiro pode atacar o piloto da Red Bull logo no começo e com isso ajudar Alonso, que sai em sétimo (após punição a Maldonado) a se aproximar de Vettel. O brasileiro garante que vai para cima, mas sem passar do limite ético.

“Vou tentar atacar, mas até o limite do regulamento. Sempre fui um piloto honesto e continuarei sendo. Mas se eu tiver a oportunidade, tentarei ultrapassá-lo como normalmente faria”, garantiu o piloto da Ferrari.

Sebastian Vettel disse não se preocupar muito com a questão, mas prestará atenção na movimentação do brasileiro. “Não me preocupo muito, até porque eu tenho espelho retrovisor e é para isso que ele serve. Mas espero não precisar usá-los além da conta”, respondeu.

Já Alonso classificou de ignorante quem sequer considera a possibilidade de Felipe bater propositalmente em Vettel. “Nem falamos nisso. Só me concentro na minha corrida. Não houve uma conversa sequer a respeito disso. Quem coloca o Felipe nessa situação não é gente boa. É ignorante”, afirmou.

Assim como em Austin, Felipe Massa voltou a andar mais que Alonso na classificação. Nos EUA, porém, a equipe decidiu mexer no câmbio de seu carro para que o brasileiro fosse punido e, com isso, Alonso ganhasse uma posição e largasse do lado limpo da pista. Segundo os pilotos da Ferrari, a chance desta estratégia se repetir é zero.

Perguntado sobre essa questão do câmbio, Massa brincou: "O câmbio está funcionando perfeitamente. Mas nos EUA também funcionava". Depois, mas sério, negou a estratégia. “Não há essa possibilidade. Isso não existe”, disse Massa. Na última corrida isto aconteceu só devido às condições diferentes da pista, que não tinha grip do lado sujo. Se a gente largasse daquele lado perderia mais posições. Mas aqui, como nas outras pistas, não tem isso”, completou o brasileiro.

Alonso concorda e ainda aproveitou para cutucar a McLaren. “Em Austin, acho que ninguém entendeu a decisão. Se largássemos em sexto e oitavo, as previsões apontavam que acabaríamos a primeira curva em nono e décimo. Largando em sétimo e 11º, chegamos em quarto e sétimo na primeira curva. Portanto, é uma decisão de equipe, não apenas para me beneficiar, como esta parte do pitlane quis entender”, disse o piloto apontando para os boxes da McLaren e da Red Bull. “Graças àquela decisão, temos 13 pontos a mais que a McLaren no Campeonato de Construtores”, alfinetou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pilotos Fernando Alonso , Felipe Massa , Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias