Lauda pede volta aos velhos tempos e lembra Piquet

Dirigente da Mercedes quer que comissários deixem de interferir tanto nas disputas entre os pilotos

O tricampeão da Fórmula 1 dos anos 1970 e 80 e atualmente chefe da Mercedes, Niki Lauda, defende que os comissários deixem de interferir tanto nas disputas por posições entre os pilotos. O austríaco acredita que o excesso de regras é visto de forma negativa pelos torcedores.

[publicidade]“Falei com o Bernie [Ecclestone] a esse respeito, e também com Charlie [Whiting]”, disse à Autosport. “O que eu não gosto é quando assisto a uma corrida como Montreal, Nico e Lewis chegam perto um do outro na primeira curva e a TV diz que eles estão sob investigação. Pedi para Charlie e Bernie trazermos de volta os velhos tempos, como Piquet e aquele outro [Salazar] na Alemanha. Devemos deixar com os pilotos, sem interferir”, disse Lauda, referindo-se a quando o brasileiro foi tirar satisfações após uma colisão.

Além de agradar mais os torcedores, Lauda acha que a menor interferência fará com que os pilotos arrisquem mais. “O público nos deixa porque não somos mais racers. Até o incidente entre Perez e Massa no Canadá, se agora há a ideia de menor interferência, nem deveria ter sido investigado. Foi um incidente normal de corrida e graças a deus nada aconteceu, e eu deixaria assim.”

Lauda diz ter o apoio do diretor de corridas Whiting. “Eles vão fazer algo. Isso tem de parar. Se depois da corrida alguém quer protestar porque acha que não foi justo, que o faça. Custa muito dinheiro, com os advogados e tal. Então isso não vai acontecer. Os pilotos devem estar livres para disputar. Há muito controle de tudo.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias