Lauda vê Verstappen “70% culpado” por incidente em Baku

compartilhar
comentários
Lauda vê Verstappen “70% culpado” por incidente em Baku
Por: Glenn Freeman
30 de abr de 2018 11:30

Tricampeão da Fórmula 1 acredita que holandês se moveu demais à frente do companheiro Daniel Ricciardo

Niki Lauda, Non-Executive Chairman, Mercedes AMG
Charlie Whiting, FIA Delegate and Niki Lauda, Mercedes AMG F1 Non-Executive Chairman on the grid
Race retiree Max Verstappen, Red Bull Racing walks away
Niki Lauda, Mercedes AMG F1 Non-Executive Chairman and Bernie Ecclestone
The crashed car of Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 is recovered
Race retiree Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB14
The crashed car of Max Verstappen, Red Bull Racing RB14 is recovered
Niki Lauda, Non-Executive Chairman, Mercedes AMG, with Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1
The crashed car of Max Verstappen, Red Bull Racing RB14

Diretor não-executivo da Mercedes, Niki Lauda acha que a culpa maior do acidente que envolveu as duas Red Bulls em Baku é de Max Verstappen. Segundo ele, o piloto se moveu demais à frente do parceiro, Daniel Ricciardo.

Quando perguntado por Toto Wolff durante a sessão de mídia pós-corrida dos chefes de equipe Mercedes o que ele faria se estivesse no comando da Red Bull, Lauda inicialmente brincou: "Iria para casa chorar".

"Para mim, a culpa é 70% de Verstappen e 30% de Ricciardo. Se você se move contra ele o tempo todo, onde o pobre coitado pode ir? É uma coisa muito simples."

Wolff foi inicialmente questionado sobre a colisão no contexto de como a Mercedes fez para lidar com incidentes similares durante a rivalidade de Lewis Hamilton e Nico Rosberg, e Lauda sugeriu que a Red Bull devesse usar uma tática que a Mercedes considerou durante os últimos anos.

"Se eles fossem pilotos da Mercedes, eu os traria para o escritório junto com Toto e lhes diria que eles receberão a conta pelos danos que causaram", disse ele.

"Nós pensamos sobre isso uma vez, mas não fizemos."

Wolff, que disse que a batalha da Red Bull foi "como um filme" ​​já que teve muitos pontos críticos, acrescentou que é complicado equilibrar o desejo dos pilotos de competir com o fato de representarem uma grande equipe de pessoas que trabalham para eles nos bastidores.

"Eu vi isso duas vezes, em Spa (2014) e em Barcelona (2016)", disse ele, referindo-se aos dois incidentes de maior visibilidade entre Hamilton e Rosberg.

"Você tem que lembrar os caras que além de todas as corridas, há uma grande estrutura no fundo que está trabalhando 24 horas por dia e 7 dias por semana para oferecer a eles os melhores carros possíveis."

"Mas você também não quer que o espírito de leão seja tirado dos pilotos.”

"Eu já disse isso antes: você não pode esperar ter cães de guarda no carro e querer que eles se comportarem como cachorrinhos. Há uma vantagem e uma desvantagem em ter pilotos rápidos no carro que competem entre si com força."

 

Próxima Fórmula 1 matéria
OPINIÃO: RBRs dividem culpa, mas Verstappen é reincidente

Previous article

OPINIÃO: RBRs dividem culpa, mas Verstappen é reincidente

Next article

Honda e Red Bull têm 1ª reunião formal para parceria

Honda e Red Bull têm 1ª reunião formal para parceria
Load comments