Leclerc exclusivo: lado mental é minha maior força

compartilhar
comentários
Leclerc exclusivo: lado mental é minha maior força
Por: Gabriel Lima
9 de nov de 2018 12:40

Futuro piloto da Ferrari, monegasco fala de experiências difíceis em corridas após morte do pai e de Jules Bianchi

Depois de dominar a Fórmula 2 em 2017, Charles Leclerc chegou à Fórmula 1 com pompas nesta temporada. O piloto da equipe Sauber passou por uma fase de aprendizado nas três primeiras provas e conseguiu um belo resultado já em sua quarta corrida no Azerbaijão – um sexto lugar.

Por sinal, a pista de Baku foi palco da corrida mais difícil da carreira de Leclerc um ano antes, quando dias depois de perder o pai ele se viu obrigado a correr em uma etapa da F2. O resultado não poderia ter sido mais surpreendente: Leclerc venceu a corrida 1 vindo da pole position e foi o segundo na corrida 2 (com grid invertido nos oito primeiros) após ter chegado em primeiro na pista mas ter sofrido uma punição.

Questiona durante entrevista exclusiva ao Motorsport.com Brasil em Interlagos, Leclerc falou sobre aquela corrida e como lidou com seus sentimentos durante aquele fim de semana.

“Foi um final de semana muito difícil no geral, mas tentei não pensar no que aconteceu, mesmo tendo sido uma situação muito difícil para mim”, disse o monegasco.

“Tentei pensar nisso o menor tempo possível e me focar sempre no meu trabalho. No fim, tudo deu muito certo em termos de resultados. Emocionalmente não foi uma experiência fácil, mas consegui administrar isso bem.”

“Eu acho que sou forte mentalmente. Acho que era minha fraqueza há cerca de um ano atrás, mas trabalhei muito neste aspecto, que é muito importante para os pilotos.”

Questionado sobre como fez para suportar a pressão, ele disse: “você tem que se concentrar em entregar os resultados no momento correto”.

“Em colocar o seu foco no momento correto. Por exemplo, em uma volta de classificação, que você precisa dar o seu máximo. Você precisa de concentração durante uma corrida. Isso é muito importante neste nível, e durante esse período eu trabalhei com essa ênfase.”

Amigo de infância de Jules Bianchi devido ao fato de seu pai e o pai de do francês terem sido amigos d elonga data, Leclerc também falou sobre o que sentiu neste ano em Suzuka neste ano, em sua primeira visita à pista onde Bianchi perdeu a vida devido a um acidente no GP do Japão de 2014.

“Assim como Baku, foi um final de semana muito difícil de novo”, disse.

“Foi a minha primeira vez em Suzuka e no Japão depois do acidente. Na verdade, nunca havia estado lá. Foi muito difícil, mas é como eu falei: você tem que se focar muito no seu trabalho no carro e foi isso exatamente o que fiz. Dentro do carro, você não pensa em nada disso.”

Next article
Verstappen: Red Bull não mente sobre o potencial da Honda

Previous article

Verstappen: Red Bull não mente sobre o potencial da Honda

Next article

Verstappen domina primeiro treino livre do GP do Brasil

Verstappen domina primeiro treino livre do GP do Brasil
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Autor Gabriel Lima
Tipo de matéria Entrevista