Leclerc: Ser tido como futuro campeão é “grande honra”

compartilhar
comentários
Leclerc: Ser tido como futuro campeão é “grande honra”
Por: Gabriel Lima
11 de nov de 2018 11:08

Em entrevista exclusiva, piloto monegasco diz que teve que adaptar estilo de pilotagem ao carro da F1 após GPs complicados no início do ano

Se Charles Leclerc surpreendeu o mundo nesta temporada, pouca gente lembra que o ano não começou da melhor maneira para o piloto monegasco da equipe Sauber. Nas três primeiras provas o piloto não conseguiu ficar à frente do companheiro de equipe experiente, Marcus Ericsson.

Entretanto, a partir da quarta corrida, em Baku, tudo deu mais certo. Com o piloto entendendo que seu estilo de pilotagem e acerto eram incorretos, ele finalmente conseguiu desenvolver um bom trabalho no Azerbaijão terminando em sexto lugar.

De lá para cá foram mais sete resultados dentro do top-10, 27 pontos, muitas aparições no Q3 e o 15º posto no mundial.

“Essa temporada certamente trouxe muito mais do que eu esperava”, falou ao Motorsport.com.

“Obviamente, sendo o meu primeiro ano na Fórmula 1 eu esperava uma temporada difícil. As primeiras três corridas foram bem difíceis, e eu não esperava um grande passo. Tenho que dizer que em Baku não esperava um pulo tão alto. Provavelmente foi uma recompensa por ser paciente.”

“Nós entendemos como fazer o carro funcionar e eu entendi como guiar o carro. Ambas as coisas se combinaram no momento certo e acho que é por isso que demos um passo tão grande à frente.”

“Foi este entendimento de ambas as partes. O equilíbrio do carro era diferente. Costumava deixa-lo com a traseira bem agressiva – que é como eu acostumei a guiar desde cedo. Isso me fazia perder rendimento.”

Quando questionado sobre o fato de muitos lhe acharem um futuro campeão mundial, o futuro companheiro de Sebastian Vettel na Ferrari disse que não deixa que isso afete sua mente.

“É uma grande honra toda vez que ouço isso”, falou.

“Mas tento não pensar muito nisso muito. Eu só me foco no meu trabalho, nas minhas fraquezas para melhorar para ser o melhor que eu posso ser. Mas, sinceramente, tento não pensar muito no que dizem sobre mim.”

“Hoje em dia tenho mais gente me seguindo, tenho mais gente torcendo por mim e é ótimo ter bastante gente gostando de você. Eu me sinto muito grato por isso.

“Sempre sonhei com isso desde criança. Sempre quis estar nesta posição de piloto de Fórmula 1. Tudo isso vem junto. Estou muito feliz com isso.”

O piloto se sente bastante feliz de ter chegado à F1 vindo de um país como Mônaco, que apesar do tradicional GP, jamais teve grande pilotos na F1.

“Me traz muito orgulho porque não foram muitos monegascos que estiveram nesta posição”, contou.

“Isso para mim é muito mais especial. Ainda não compreendi muito bem o impacto de tudo lá em casa, acho que tudo será maior com certeza no ano que vem. Mas muitas pessoas me param hoje em dia, me dão parabéns e isso é ótimo de ver.”

Next article
Mercedes: “Grande aposta” torna Ferrari favorita no Brasil

Previous article

Mercedes: “Grande aposta” torna Ferrari favorita no Brasil

Next article

Renault "volta à realidade" no Brasil, diz Sainz

Renault "volta à realidade" no Brasil, diz Sainz
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Autor Gabriel Lima