Liberty quer mais de um GP por ano nos EUA e na China

compartilhar
comentários
Liberty quer mais de um GP por ano nos EUA e na China
7 de jun de 2018 18:04

CEO da Fórmula 1 diz que para entrar nos dois maiores mercados do mundo o campeonato precisa de “caminho diferente”

Integrante do grupo Liberty Media e CEO da Fórmula 1 desde o último ano, Chase Carey disse que países como os Estados Unidos e a China são grandes o bastante para abrigarem duas etapas da Fórmula 1 por ano.

Falando na Conferência Esportiva da FIA nas Filipinas, Carey disse que imagina um segundo GP da F1 em ambas localidades. Atualmente já se discute a realização de uma corrida em 2019 em Miami.

"Agora, esperamos ter um segundo GP nos EUA", disse ele. "Acho que países desse tamanho e escala são importantes”.

"Nosso foco é que queremos ter certeza de que os eventos que temos possam ser o mais forte possível. Por isso é a qualidade em vez da quantidade."

"A China e os EUA são as duas maiores economias do mundo, e são dois lugares em que apenas estamos apenas arranhando a superfície do potencial do esporte", disse ele.

"Desenvolver o esporte na China é provavelmente um caminho diferente do que desenvolvê-lo nos EUA. Acho que na China procuraremos ter parceiros chineses que possam nos ajudar a navegar neste mercado e realmente trabalhar como parceiros no esporte geral.”

“É importante descobrirmos como garantir que os fãs na China que ainda não tiveram a oportunidade de experimentar o esporte se envolvam com isso. "

Carey também confirmou o interesse da F1 de realizar uma corrida no Vietnã.

"Certamente o Vietnã é um desses países que continua a se tornar um lugar maior e mais interessante para o turismo, negócios e outras coisas", disse ele.

“Queremos estar no que chamamos de cidades de destino, países de destino – lugares que podem capturar a imaginação do mundo. O Vietnã é um desses lugares.”

Próxima Fórmula 1 matéria

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Últimas notícias