Lotus defende pilotos e reduz risco de demissão com Renault

Para Matthew Carter, chefe da escuderia vendida para a Renault, Pastor Maldonado e Jolyon Palmer vão estar no grid em 2016

Com o acordo de venda para a Renault selado, a Lotus ainda tenta influenciar nas decisões para a temporada de 2016 da Fórmula 1. Diante de sugestões para que a montadora francesa mude os pilotos, o executivo da Lotus, Matthew Carter, defendeu Pastor Maldonado e Jolyon Palmer e disse não ter dúvidas de que eles estarão no grid do GP da Austrália, no dia 20 de março.

“Os contratos foram acordados com a Renault”, disse Carter em entrevista à Reuters. Para ele, especificamente o venezuelano é importante para os planos da Renault. “Pastor e os investimentos que traz são uma parte e parcela importante para a Renault nos próximos 12 meses. Eu acho que os dois pilotos serão os que imaginamos”, disse.

Ao concluir a negociação, o chefe da Renault, Carlos Ghosn, disse que todas as decisões seriam anunciadas em janeiro, deixando em aberto se Maldonado e Palmer estariam nos planos. Já Flavio Briatore, executivo que comandou a equipe francesa no bicampeonato de Fernando Alonso, disse que seria radical nas mudanças.

Carter sabe que não pode garantir a permanência dos pilotos, mas lembra a força dos cotratos. “Como nós sabemos, contratos  podem ser quebrados se as partes tiverem interesse. Mas eles têm acordos assinados”, repetiu.

A homologação da aquisição da Lotus por parte dos franceses deve acontecer até o dia 16 de dezembro. A Renault pretende investir até R$ 1 bilhão por temporada e acha que em três anos estará brigando pelo topo na Fórmula 1.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias