Lotus garante que não terá problemas com proibição da FIA

Fornecedora de motores da equipe, a Renault, teve seu pedido negado para alteração do mapeamento do motor

O diretor técnico da Lotus, James Allison, garantiu que o time não está preocupado com a mudança nos mapas de motos de sua fornecedora, a Renault.

Os franceses haviam pedido à FIA para alterar o mapeamento, o que ajudaria os times equipados com seus motores a trabalhar com os gases de escapamento de forma a melhorar a aerodinâmica, mas a solicitação foi negada. Assim, as configurações devem voltar ao que era utilizado ano passado.

“Usamos durante os testes o mesmo mapa de motores que vínhamos utilizando desde o GP da Coreia [de 2012], quando introduzimos o escapamento Coanda”, afirmou Allison. “Você tem as regras e quer saber exatamente qual o limite e, por isso, faz questionamentos. Então estávamos questionando a FIA sobre o que era possível e testando isso na pista simultaneamente.”

“Quando a FIA disse que não poderíamos fazer isso, também descobrimos que não gostamos muito do resultado. Então no final das contas não fez diferença.”

Allison explicou que, ainda que as regras atuais não permitam o uso dos gases do motor de maneira tão decisiva quanto em 2011, todas as equipes buscam os limites do regulamento para garantir mais pressão aerodinâmica para o carro. “Todos tentam fazer com que o fluxo de ar preencha o buraco entre o pneu e o assoalho. Há várias maneiras de fazer isso, mas todos seguem o mesmo objetivo. Quanto mais energia você coloca nessa área, melhor.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias