Lotus tenta afastar rumores e reitera que não está à venda

CEO do time, entretanto, afirma que toda empresa tem seu preço para ser vendida e deixa incerteza no ar.

Após 2013, com as saídas Eric Boullier e James Allison, a equipe Lotus perdeu suas grandes forças do pit wall. Desde então, a equipe vem tendo dificuldades para andar no ritmo que era acostumada em seus dois primeiros anos de existência. Com isso, rumores pairam sobre seu futuro. Para muitos o time pode ser vendido a qualquer momento.

O CEO da equipe, Matthew Carter, refuta os rumores, porém ainda afirma que cada negócio tem seu preço, deixando a incerteza no ar.

"Eu continuo a dizer a mesma coisa. Os acionistas têm dito que a empresa não está à venda. Mas acho que já disse na imprensa antes, de que tudo está a venda por um preço determinado. Isso é o que eu posso dizer.”

"Eu continuo a reiterar que assinamos um contrato de longo prazo com a Mercedes-Benz. Estamos preocupados em apenas continuar por esse caminho.”

"Essa última informação que ouvi foi que nós estávamos indo sendo vendidos até o final de maio. Só que ainda estamos aqui e nós ainda somos a mesma equipe."

A Renault vendeu sua participação em seu ex-time de fabrica em 2011. A Lotus manteve o fornecimento de motores pela empresa francesa até 2015, quando mudou para a unidade da Mercedes. O time de Grosjean e Maldonado ocupa a sexta posição no campeonato.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Pastor Maldonado , Romain Grosjean
Equipes Lotus F1
Tipo de artigo Últimas notícias