'Luto' por Bianchi relega estreia russa a um segundo plano na Fórmula 1

Repercussão do acidente do francês pauta pilotos no primeiro dia de atividades na estreante Rússia

Fórmula 1 se mobiliza por um sentimento: 'Força, Jules'
A princípio, a Rússia e a estreia do circuito de Sochi abordariam as principais falas dos pilotos do Mundial de Fórmula 1 neste final de semana. Contudo, em virtude de circunstâncias extraordinárias, as novidades permaneceram em um segundo plano. Tudo por conta do acidente de Jules Bianchi, da Marussia, no GP do Japão, no último domingo.
 
[publicidade] O piloto francês colidiu com o trator que recolhia o carro de Adrian Sutil, da Sauber. Chovia muito em Suzuka e as condições da pista eram péssimas no momento em que Bianchi saiu da pista e se acidentou. O representante da Marussia foi imediatamente transportado para um hospital em Mie, próximo ao circuito.
 
A repercussão sobre Bianchi se tornou o assunto base das conversas entre pilotos e imprensa nesta quinta-feira. Os pilotos correrão com um adesivo em alusão ao francês, tudo partiu após uma ideia de Jean-Eric Vergne, da Toro Rosso, amigo do representante da Marussia.
 
“Jean-Eric ficou profundamente abalado pelo que aconteceu e é um grande amigo de Jules, portanto tomou essa iniciativa. Ele será distribuído para todo paddock em Sochi, e também na GP2 e na GP3. Todos irão apoiar Jules durante o final de semana”, declarou Morgan Caron, dirigente da Federação Francesa de Automobilismo, à ‘RMC Sport’.
 
A iniciativa de Vergne contagia a todos no paddock. Desde os pilotos até donos de equipes trataram de abordar o assunto e desejar a melhora rápida do francês, que sofreu uma lesão axonal difusa. O lado esportivo definitivamente ficou relegado a um segundo plano.
 
“Todo mundo na Force India continua a apoiar Jules e a Marussia. Sabemos que Jules tem trabalhado bem desde 2012. A sua recuperação é a maior prioridade da categoria no momento”, declarou Vijay Mallya, chefe da Force India.
 
Quem expôs a preocupação reduzida da categoria em relação à prova na Rússia foi Monisha Kaltenborn, chefe da Sauber. 
 
“Todos na Sauber viajaram a Sochi abatidos por causa de Jules Bianchi. Estamos chocados pelo ocorrido no último final de semana, e simplesmente não é possível mudar o pensamento para os negócios. Tudo o que acontece por aqui é pouco importante, nossos pensamentos estão com ele e a família”, completou.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias