Magnussen enfrenta calor para alcançar 'ponto mais difícil da carreira'

Dinamarquês enfrentou problemas na temperatura do carro; Button abandonou perto do fim

Magnussen chegou em décimo, mas lamentou os problemas em Cingapura
A McLaren enfrentou um duro domingo em Cingapura. A tradicional equipe britânica somou apenas um ponto, com Kevin Magnussen, o décimo colocado na corrida. O dinamarquês, responsável pelo êxito, destacou as dificuldades enfrentadas na noite asiática.
 
[publicidade] Em entrevista concedida depois da corrida, o piloto lamentou a alta temperatura no cock-pit – durante a passagem do Safety Car, Magnussen foi flagrado levantando os braços para se refrescar.
 
“Foi uma corrida dura, muito dura. Durante o GP, não sabia se havia algo errado com o carro, mas meu cock-pit estava muito quente, assim as coisas se tornaram extremamente desconfortáveis para mim”, declarou Magnussen.
 
“Sem esses problemas, penso que poderia ir melhor do que o 10º lugar. Mas pelo menos conquistei um ponto, é melhor do que nada. Foi o ponto mais difícil que conquistei na minha carreira”, encerrou.
 
Se Magnussen, responsável pelo único ponto da McLaren, deixou o GP frustrado, Jenson Button lamentou ainda mais. O britânico abandonou na 52ª volta por conta de uma pane geral no carro.
 
“Estava fazendo o trabalho para levar o carro até o final da corrida: estava observando os pneus, e sabia que nas últimas cinco voltas seria a situação se complicaria por conta de Valtteri (Bottas), e penso que poderia ultrapassa-lo. Mas aconteceu isso, faltou sorte”, lastimou.
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias