Mapas de motor da Red Bull fazem pouca diferença, diz Renault

Chefe de operações da empresa francesa garante que todas as equipes mexem no mapeamento e que isso traz "centésimos"

A Red Bull teve seu mapeamento de Hockenheim proibido

O chefe de operações da Renault Sport Remi Taffin tratou de diminuir a polêmica do mapeamento dos motores usados pela Red Bull em Hockenheim, que foram considerados ilegais pela FIA. O francês explicou que todas as equipes trabalham com essas configurações, que alteram o torque.

“A cada corrida você tenta maximizar seu pacote e os mapas de motor são parte disso, e estamos mexendo com isso desde o início do ano. É algo feito por todos no pit lane, não é incomum.”

Taffin acredita que a proibição da solução usada especificamente pela Red Bull não represente um grande prejuízo para a equipe nas nove etapas restantes. “Estamos falando de centésimos, não são segundos ou mesmo décimos.”

O profissional explicou que a Renault deixa seus clientes – além da Red Bull, os franceses fornecem motores para Lotus, Caterham e Williams – livres para configurarem determinadas áreas.

“Temos nosso mapeamento de motor em determinada configuração. Temos uma área na qual cada um de nossos quatro times pode optar por diferentes coisas, então eles podem mexer o que quiserem no nosso motor.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias