Massa alerta Williams: “Não melhoramos como deveríamos”

Brasileiro conta que desenvolvimento de seu carro ficou estagnado, espera novas dificuldades em Monza e diz: “É frustrante estar brigando com as equipes lá atrás”

Depois de enfrentar dificuldades para ser competitivo durante o GP da Bélgica, Felipe Massa alertou a Williams de que o desenvolvimento de seu carro não está ocorrendo na mesma velocidade das equipes rivais.

Em Spa-Francorchamps, Massa e Lance Stroll tiveram uma classificação apagada, sendo ambos eliminados no Q1. Na corrida, no entanto, a sorte mudou, sendo que Massa conseguiu subir no pelotão com a ajuda de um safety car e terminar em oitavo.

No entanto, Massa considera que o cenário é alarmante, sobretudo se analisada a posição da Williams no começo do campeonato.

“Acho que a situação é clara. Não melhoramos o carro como deveríamos e como as outras equipes melhoraram. Se você olhar as posições de como começamos o campeonato, as posições que tínhamos nas primeiras classificações nas primeiras corridas, elas são bem diferentes das posições que temos tido nas últimas provas”, comentou Massa, em entrevista coletiva acompanhada pelo Motorsport.com Brasil.

“Isso mostra que o desenvolvimento do carro não está sendo como tem que ser. Não é que estamos em uma posição que estávamos 1s na frente das outras equipes. Era 0s, 0s2 ou 0s3 – e isso dá para melhorar rapidamente. Então, se você não melhorar e os outros time melhorarem mais do que isso, pode ser que a gente tenham ficado parado e os outros times fizeram um trabalho que nós deveríamos ter feito. Então, é um pouco frustrante ver as posições que estamos conseguindo neste momento.”

Massa afirmou que vê semelhanças na queda de desempenho apresentada pela Williams em 2017 em comparação ao ocorrido no ano passado.

“É uma situação bem parecida. Muita coisa mudou, muita gente nova chegou, muitas ideias novas apareceram, o jeito de trabalhar mudou, mas as coisas não estão funcionando da maneira que elas deveriam e que eu imaginava. Isso é um pouco frustrante e faz as coisas serem mais difíceis, porque estamos começando a segunda parte do ano”, disse.

“Muitas equipes já estão pensando em mudar um pouco para o ano que vem. A gente sabe que se nada grande acontecer, o carro que temos hoje é o carro que teremos na última corrida do ano. Espero quer algo aconteça para nós tentarmos ter mais um pouco de prazer nas provas até o fim do ano.”

“Em Baku nós largamos em nono e décimo, não saíamos lá na frente. Pelas circunstâncias da corrida eu tive a chance de vencer. Mas é claro que o carro era bem mais competitivo lá do que aqui.”

“Estou sendo competitivo”, insiste

Apesar das dificuldades em obter bons resultados, Massa insiste que ele próprio continua pilotando de forma competitiva, o que torna todo o cenário ainda mais decepcionante para ele.

“Competitivo eu estou sendo. Não estou nem um pouco preocupado com o jeito que estou guiando o carro. Eu gosto de guiar. Fui competitivo em muitas corridas. É óbvio que em algumas corridas aconteceram alguns azares e eu não marquei os pontos que eu deveria – não foi culpa minha. Mas é frustrante estar brigando com as equipes lá atrás”, analisou.

Sobre seu futuro, limitou-se a dizer: “Tenho algumas corridas para pensar o que vou querer para o meu futuro.”

Reportagem adicional de Gabriel Lima

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias