Massa entrega: no futebol, Alonso é craque e Rubinho é perna de pau

Brasileiro revela que time dos pilotos, que tem até camisa oficial, sofre com excesso de centroavantes

Eles têm camisa oficial com direito a patrocinador e costumam se reunir pelo menos uma vez por ano para uma partida beneficente antes do GP de Mônaco: é a seleção dos pilotos, batizada com o nome italiano de Nazionale Piloti, que, como em qualquer pelada ao redor do mundo, tem seus craques – e os pernas de pau que insistem em participar da brincadeira.

“Tem bastante gente que joga bem”, garantiu um dos titulares, Felipe Massa, ao TotalRace. “O Schumacher era um cara que jogava bem, ele era muito raçudo, corria muito. Alonso joga bem, Fisichella também – mas não passa para ninguém –, Perez. Vettel engana. Já o Bianchi corre mais do que joga, mas corre bastante.”

Por outro lado, Massa entrega que não é todo mundo que é bom de bola entre os pilotos. Longe disso. “São muitos os pernas de pau. Rubinho é um perna de pau de primeira. Tem também o Trulli, Patrese... tem mais perna de pau do que cara que sabe jogar, para falar de verdade.”

Mas dar a chance para quem não fica muito à vontade com a bola nos pés não é o principal entrave na hora de definir a escalação. Afinal, piloto que é piloto quer sempre ficar na frente – de preferência, na banheira.

“O problema do futebol de pilotos é arranjar zagueiro”, revela o brasileiro. “Nossos zagueiros sempre são os ex-jogadores que vêm ajudar ou ex-pilotos, como o Capelli [italiano que correu na década de 1980]. Nenhum piloto quer voltar, é tudo atacante. E tudo número nove!”

Brincadeiras à parte, em comparação aos craques que entrarão em campo a partir desta quinta-feira na Copa do Mundo, Massa garante que é melhor os pilotos passarem longe. “Copa do mundo? Pelo amor de Deus, é melhor a gente nem pensar nisso!”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias