Massa lamenta toque em Rosberg e falta de ritmo da Ferrari na Hungria

Brasileiro chegou em 8º, após ter a asa dianteira danificada logo na largada, o que acabou prejudicando sua corrida

Um toque na traseira do carro de Nico Rosberg logo na largada comprometeu a corrida do brasileiro Felipe Massa, que, com a asa dianteira danificada durante toda a prova, conseguiu chegar apenas na 8ª colocação em Budapeste. Questionado pelo TotalRace, o piloto da Ferrari confirmou que o incidente do início foi fundamental para não terminar mais à frente.

“O toque na asa me prejudicou bastante. O carro acabou perdendo equilíbrio, passou a sair mais de frente e eu tive que trabalhar muito na hora de virar. Isso não ajudou no ritmo e aumentou o consumo de pneus”, explicou Felipe. “E outra: a gente não tinha o ritmo que imaginávamos aqui. Talvez a pista não tenha casado bem com o carro, então foi uma corrida muito complicada, difícil. E com a perda de toda a parte lateral da asa logo na primeira volta, senti que perdi ainda mais ritmo”, reforçou.

Segundo o brasileiro, uma troca de asa logo no primeiro pit stop não resolveria muito sua vida neste domingo. “Trocar a asa demora muito tempo. Tenho certeza que, se a gente trocasse, eu perderia ainda mais tempo e chegaria mais para trás”, justificou.

Perguntado pelo TotalRace se a Ferrari passou a ser a quarta força, com a evolução da Lotus e a melhoria da Mercedes em relação à consistência, o brasileiro se esquivou. “Espero que a gente tenha possibilidade de estar mais para frente e brigar para que não sejamos a quarta força. Tem um intervalo agora, que não se pode trabalhar, mas pelo menos vamos tentar entender. E trazer coisas que funcionem até o fim do campeonato”, torce o piloto, que permanece na 7ª colocação no campeonato, agora com 61 pontos.
 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias