Massa revela mágoa com Piquet pós-2008: nunca veio conversar

compartilhar
comentários
Massa revela mágoa com Piquet pós-2008: nunca veio conversar
2 de ago de 2018 13:02

Ex-Fórmula 1 diz que por acidente proposital em Cingapura, até hoje não tem “boa relação” com Nelsinho: “acho muito triste um piloto fazer uma coisa como essa”

Participando da Corrida do Milhão da Stock Car neste final de semana, Felipe Massa falou ao jornal O Popular de Goiânia sobre sua carreira e sua aventura na Stock Car neste ano.

Relembrando passado, Massa foi perguntado sobre 2008 e como quase foi campeão do mundo. Dentro do assunto, ele revelou que até hoje tem mágoas com Nelsinho Piquet pelo acidente proposital que provocou no GP de Cingapura. Na ocasião, o brasileiro – então na equipe Renault – bateu conscientemente para provocar um Safety Car e fazer seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, vencer a prova.

A armação foi revelada em agosto do ano seguinte, quando Piquet foi demitido da Renault.

“Perguntei uma vez para ele antes de ele falar (que havia batido de propósito)”, disse Massa.

“Perguntei se ele havia batido por querer, e ele disse: ‘não, não’. E aí, depois de alguns meses, ele falou que tinha batido por querer. Então, já falei disso com ele. Na verdade, acho muito triste um piloto fazer uma coisa como essa.”

“Então, não tenho uma relação tão próxima do Nelsinho e ele também nunca veio conversar comigo. Não se desculpar, porque ele não bateu para me prejudicar. Ele bateu por uma outra razão. Acho que pelo que ele fez, não tenho uma boa relação com ele por isso.”

Mesmo assim, Massa disse que não tem assuntos mal resolvidos com a temporada de 2008, quando perdeu o título para Lewis Hamilton por apenas um ponto.

“Não, de jeito nenhum”, ratificou.

“Aconteceu do jeito que tinha que acontecer. Não dependia de mim. Eu venci a corrida (em Interlagos), e o melhor resultado que você pode conseguir é primeiro. Isso eu fiz. Mas dependia também da posição que o Hamilton chegasse no final. E aí acabou que com a chuva e os acontecimentos que tivemos, ele acabou passando o Timo Glock na última curva, ou alguns metros antes, e acabou chegando na frente, mas foi um ano maravilhoso. Fiz um ano perfeito, tinha tudo para vencer o campeonato.”

“Mas na Hungria faltando três voltas para o final quebrou o meu motor. Na corrida de Cingapura teve aquele acidente falso do Nelsinho Piquet, batendo por querer para ajudar o Alonso a vencer.”

“Era uma corrida que eu estava em primeiro e tinha feito a pole. Tinha a corrida no bolso, tranquilo. E aconteceu tudo aquilo. Uma ‘sacanagem’, no final. E isso me tirou dez pontos – o que valia a vitória naquela época.”

“Então aconteceram muitas coisas no campeonato que me tiraram este ponto. Aconteceu assim, e continuo sendo um cara muito orgulhoso e feliz daquilo que passei. Sem dúvida não incomoda a minha noite de sono e a minha vida. Tenho muito orgulho daquilo que passei.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Hamilton quer que Mercedes melhore em classificações

Previous article

Hamilton quer que Mercedes melhore em classificações

Next article

Giovinazzi: Bons testes não me garantirão na F1

Giovinazzi: Bons testes não me garantirão na F1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Últimas notícias