McLaren assume assento no conselho da Fórmula 1

A McLaren assumiu pela primeira vez um cargo na Fórmula 1, o que dá mais força para a equipe opinar sobre futuro do esporte

A McLaren se juntou a Ferrari e Mercedes como as únicas concorrentes representadas no quadro da F1. A equipe de Woking já tinha recebido uma oferta de um assento quando Bernie Ecclestone era o chefão da F1, como parte das negociações anteriores do Acordo Concorde, mas não aproveitou a oportunidade até agora.

A equipe é representada por seu presidente executivo, Shaikh Mohammed Bin Essa Al-Khalifa, refletindo a influência do maior acionista da McLaren e do fundo de investimento de Bahrein, a Mumtalakat Holding Company.

"A McLaren há muito tempo tem direito a um assento", disse o chefe da equipe, Zak Brown, ao Motorsport.com. "Como eu não estava lá, não sei por que eles não o assumiram antes”.

"Mas, olhando para frente, há muitas mudanças para o futuro, e temos muitas opiniões”.

"Acreditamos que podemos ajudar a moldar esse futuro, e queríamos ter um assento na mesa para fazê-lo. Então o assumimos”.

"Shaikh Mohammed é nosso presidente executivo e meu chefe, e ele definitivamente é a pessoa certa para o papel. Ele conhece o esporte de dentro para fora”.

"Como qualquer outro conselho, suas responsabilidades são a direção estratégica, a governança e as grandes decisões e, finalmente, são os guardiões do esporte".

O conselho da Formula One Topco Limited - o braço recém-registrado do Reino Unido de uma empresa originalmente estabelecida em Jersey como Delta Topco Limited - atualmente reflete uma mistura das antigas e novas eras da gestão do esporte.

A Liberty Media é representada pelos chefes da F1 Ross Brawn e Chase Carey, além do presidente e CEO Greg Maffei, o diretor jurídico Richard Baer e o diretor de desenvolvimento corporativo Albert Rosenthaler.

Ainda presentes na "Era Ecclestone", estão o chefe da CVC, Donald McKenzie, além do chefe financeiro da F1, Duncan Llowarch, chefe legal da Sacha Woodward-Hill e ex-presidente Peter Brabeck-Letmathe.

Do lado das equipes, a Ferrari é representada por seu presidente Sergio Marchionne e a Mercedes pelo chefe de finanças da Daimler e membro do conselho Bodo Uebber.

Na segunda-feira, Maffei deu uma visão sobre como funciona o conselho da Fórmula 1, e como isso se relaciona com as outras partes interessadas no esporte.

"Nós éramos uma companhia de Jersey, então, literalmente, tivemos que ter todas as reuniões do conselho em Jersey", disse. "Não Nova Jersey - Jersey. Esse não é o lugar mais fácil para começar reuniões do conselho!”

"O conselho tem membros de algumas das equipes, no entanto, a Liberty tem o chamado 'I Director', que diz basicamente o que podemos divulgar a todos”.

"A realidade é que é um modelo de governança compartilhada. Você precisa fazer os fãs felizes, você precisa fazer os promotores felizes, você precisa tornar os radiodifusores felizes. Isso fará com que os acionistas ganhem”.

"E a FIA, o regulador, é outro que não deve ser desligado. Existe uma interação aqui que leva muito trabalho, há muita sobrecarga nisso. Provavelmente é mais complicado do que a maioria das empresas por causa da natureza complicada do que temos."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes McLaren
Tipo de artigo Últimas notícias