McLaren: F1 não deveria depender do dinheiro para sucesso

compartilhar
comentários
McLaren: F1 não deveria depender do dinheiro para sucesso
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
12 de set de 2018 13:53

CEO da equipe britânica diz que Liberty precisa fazer valer seus interesses frente a times que não querem teto de gastos

Os problemas atuais da Fórmula 1 devem agir como um incentivo - e não como um impedimento - para que a Liberty Media, sua proprietária, continue propondo uma grande reformulação das regras para 2021, disse o CEO da McLaren, Zak Brown.

Com um crescente abismo de desempenho entre as três principais equipes e o restante do grid, a quase falência da Force India e uma situação em que pilotos de alto nível como Esteban Ocon podem perder lugares, Brown acha que chegou a hora de agir.

Ele acredita que, em vez de a Liberty responder às dificuldades adotando uma atitude cautelosa, os eventos devem torná-la ainda mais convencida da necessidade de uma revisão radical no regulamento.

"Eu acho que todos nós vimos isso acontecer, e eu não invejo o que a Liberty herdou porque isso começou há algum tempo", disse Brown ao Motorsport.com.

"Bernie Ecclestone tinha o controle e estava comandando tudo, mas era uma bomba-relógio, e agora algumas coisas explodiram.”

"E eu disse isso para eles (Liberty), e não é legal, mas às vezes você precisa que as coisas realmente quebrem para consertá-las. A crise das hipotecas e a crise financeira são bons exemplos. O setor bancário hoje está muito melhor por causa da crise financeira. E qualquer um no setor financeiro sabia que eles acabariam quebrando.”

"Infelizmente algumas destas coisas que foram quebradas foram infelizmente necessárias para podermos apertar o botão de reset."

"Eu nunca pensei que a F1 fosse grande demais para fracassar. Mas eu acho que a indústria como um todo tem uma arrogância que vai cuidar de si mesma. Eu não posso te dizer quantas vezes eu ouvi ‘isso sempre se consertará’. O Lehman Brothers afundou e esse foi o começo para consertar as coisas.”

"Seja uma equipe de corrida ou um piloto que deveria estar pilotando e acaba na rua. Essas serão coisas que precisaremos tomar conhecimento."

Embora uma mudança importante das regras de motor para 2021 esteja parecendo improvável, porque nenhum novo fabricante está interessado em aderir, Brown espera que os planos de um teto orçamentário e as regras para os novos carros não sejam enfraquecidas.

"Eles (Liberty) precisam fazer isso este ano e temos conversado sobre isso por tempo suficiente", disse ele.

"Eles têm todas as ideias certas, eles tiveram toda a contribuição das equipes, eles sabem onde está a resistência. Eles só precisam fazer isso. Eles são donos do esporte."

"Embora existam coisas que eles não podem fazer em 2019 e 2020, o ano de 2021 é uma folha de papel limpa, e eles só precisam fazer o que eles dizem que vão fazer e serem duros sobre isso. E se as pessoas não gostarem, elas podem deixar o esporte.”

"Eu acredito que a Liberty quer fazer o que é melhor para o esporte, mas as equipes que têm a capacidade de gastar acima do limite de orçamento vão ver isso como uma desvantagem para eles.”

"Mas eles devem ter confiança suficiente em sua equipe. Eles não deveriam ter que depender do dinheiro para comprar seu sucesso."

Próxima Fórmula 1 matéria
Haas: Grosjean precisa manter boa forma para ficar em 2019

Previous article

Haas: Grosjean precisa manter boa forma para ficar em 2019

Next article

Sondado pela Toro Rosso, Mick Schumacher quer ir para a F2

Sondado pela Toro Rosso, Mick Schumacher quer ir para a F2
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias