McLaren fica sem pontos pela terceira vez consecutiva e cai para 6º

Time, que chegou a liderar mundial de construtores, perdeu terreno. Veja o que disseram os pilotos

Jenson Button terminou o primeiro treino livre para o GP da Espanha com um promissor segundo lugar, atrás apenas de Lewis Hamilton. O carro, porém, não evoluiu durante o fim de semana e, pela terceira vez consecutiva, os dois pilotos da McLaren ficaram fora da zona de pontuação. Assim, o time que começou a temporada liderando o mundial de construtores, já caiu para a sexta posição. Confira o que disseram os pilotos da McLaren e das demais equipes que não pontuaram em Barcelona:

Jenson Button, McLaren, 11º: “A primeira volta foi muito ruim e acabou determinando toda a corrida. Faz muita diferença começar atrás numa pista como essa. Lutei muito com os pneus desde a largada, pois estava sem aderência. No segundo pit também não demos muita sorte. Estava perseguindo a Force India, mas havia um carro atrás de mim e decidi ir para os boxes. Só que voltei bem à frente do Lewis, que estava me dando uma volta, tive de dar passagem e perdi bastante tempo ali”.

Kevin Magnussen, McLaren, 12º: “Tive uma boa primeira volta, pelo menos até a metade dela. Cheguei a ficar em 13º, mas, então, fiquei lado a lado com Jenson e acabei indo fora da linha. Quando voltei, Sebastian (Vettel) não me viu e acabou tocando em mim. Eu não tinha para onde ir. Não danificou o carro, mas perdi muito tempo e posições. Creio que, se o começo fosse melhor hoje, poderia ter conquistado bons pontos”.

Daniil Kvyat, Toro Rosso, 14º: "Para ser honesto, foi uma corrida muito difícil hoje. Faltou ritmo. O começo foi até que bastante positivo, parecia possível lutar por alguns pontos, mas, no final, o desgaste dos pneus era muito grande. Isto, junto com a falta de ritmo, tornou a corrida muito difícil”.

Esteban Gutierrez, Sauber, 16º: "Obviamente, não dá para ficar feliz com este resultado. Não é onde queremos estar. Foi um bom começo, consegui ganhar algumas posições, mas, na corrida, foi muito complicado manter os pneus inteiros e ter boa velocidade nas retas. No entanto, não devemos perder a nossa motivação. Nós temos um teste esta semana e precisamos ter o programa certo para fazer as coisas se resolverem".

Adrian Sutil, Sauber, 17º: "A corrida não foi muito emocionante para mim. Infelizmente, o desempenho do meu carro não era bom. Os stints com os pneus médios foram complicados, acho que o duro funcionou melhor. Foi uma corrida decepcionante para mim, nós ainda temos um enorme problema em relação à aderência, especialmente nas curvas. Nós ainda temos que trabalhar nisto”.

Jules Bianchi, Marussi, 18º: "Foi uma boa corrida hoje, vimos sinais claros de nossa melhora.Eu era capaz de chegar à frente do meu companheiro de equipe e, no início, foi o meu primeiro objetivo. Ficar à frente das Caterham foi o seguinte. Nosso outro objetivo era lutar com a Sauber, mas, quando fomos capazes de igualar o ritmo deles, a diferença já era muito grande para ganhar a posição. Mas esse tempo virá, tenho certeza.”

Max Chilton, Marussia, 19º: “Estou muito satisfeito, pois vimos um bom passo à frente aqui. Nós, definitivamente, ganhamos uma vantagem muito forte sobre a Caterham e a Saubers está perto. Foi ótimo também manter meu recorde de corridas completadas vivo, agora com 24 em 24.”

Marcus Ericsson, Caterham, 20º: “Fiquei satisfeito com minha largada, acompanhei Kamui e cheguei a ficar em 19º. Mas, em seguida, Maldonado me tocou em uma manobra que poderia ter tirado nós dois da prova. Felizmente o carro ficou OK e pude continuar, apesar de ter caído para último. O equilíbrio do carro não era tão bom, nas curvas de alta, saia muito de traseira. No final, meu foco era apenas em terminar a corrida.”

Kamui Kobayashi, Caterham, não completou: "Meu começo foi muito bom e eu estava em 18º até o final da primeira curva, após passar Chilton, mas eu não consegui manter Maldonado e Vergne atrás de mim, perdi as posições na curva cinco e passei a focar na minha própria corrida. O carro estava OK, mas eu tive um momento muito assustador quando o freio dianteiro esquerdo falhou e eu apenas tentei não bater. Este foi o fim da minha corrida e de um fim de semana difícil”.

Jean- Eric Vergne, Toro Rosso, não completou: “Alguém me perguntou se eu me sinto um pouco perseguido pela má sorte no momento. Pode parecer assim, mas isso faz parte do jogo. Sempre faço tudo o que posso. Minha equipe está trabalhando duro, mas os problemas podem acontecer. Em relação à punição de 10 posições no grid, eu não culpo ninguém. Quando eu bato o carro é a equipe que paga meu erro, então isso faz parte das corridas. Hoje eu estava realmente determinado em ter uma boa corrida, contra todas as probabilidades, mas um problema mecânico acabou colocando um ponto final na minha corrida”.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias