McLaren minimiza calendário de 2014 extenso

"Isso está longe de ser o pior desafio que já tivemos", argumenta Sam Michael, que vê soluções para logística

A F-1 pela primeira vez pode passar de 20 etapas no ano que vem. As 22 corridas pré confirmadas no calendário que saiu sexta-feira não incomodam a equipe McLaren. Sam Michael, diretor esportivo do time Woking, acha que as equipes podem dar conta da maratona se puderem se organizar para isso.

"Eu acho que tudo é possível, só precisamos nos adaptar ao que é necessário”, falou o australiano à Autosport.

"Nós podemos fazer duas corridas seguidas. Fazendo isso, se pode fazer três seguidas em termos de logística e carga em movimento. Então, equipamentos não são o problema. O problema é que equipamentos e os planos não cansam, as pessoas cansam. Isso significa que você talvez tenha que considerar uma equipe de apoio para preparar as coisas entre os GPs.”

"Você pode usar o sua equipe de corrida para fazer acertos nas garagens e outras coisas. Se tivermos três corridas seguidas, podemos usar outras de pessoas para sair e criar uma estrutura antes da equipe de corrida chegar.”

Quando perguntado se a F-1 está exagerando com número de provas, Michael disse que o desafio de uma temporada maior não é impossível.

"Eu não estou preocupado, é uma questão de a F-1 se adaptar e se ajustar para que as necessidades do negócio", disse ele.

"F-1 é mudança. Já passei por muitos exemplos anteriormente em minha carreira, onde eu pensei: 'Não há como fazer isso'. E eles fazem. F-1 é a realização de coisas que normalmente não são possíveis, e isso está longe de ser o pior desafio que já tivemos."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias