McLaren oficializa saída da Honda e parceria com a Renault

Sequência de anúncios também tem a confirmação de que fabricante japonesa juntará forças com a Toro Rosso a partir do ano que vem

Para quem ainda tinha dúvidas, agora é oficial: a McLaren confirmou que irá romper com a Honda ao fim da temporada de 2017 e passará, a partir do ano que vem, a contar com motores Renault.

O relacionamento entre as duas partes atingiu o auge da crise na atual temporada, marcada por falta de competitividade e de confiabilidade do conjunto. Assim, após três anos, McLaren e Honda seguirão caminhos distintos.

“Nunca houve dúvidas sobre o comprometimento e a energia da Honda para ter sucesso na F1. Eles são vencedores e inovadores comprovados. Por uma série de motivos, nossa parceria não brilhou como desejamos”, disse Zak Brown, diretor executivo da McLaren.

“Mas chegou a hora de irmos para direções distintas. Como competidores, esperamos ver o ótimo nome da Honda de volta ao topo – nosso esporte é melhor com seu envolvimento.”

Takahiro Hachigo, presidente da Honda, considera que o rompimento foi o melhor caminho para ambas as partes. “É uma pena que tenhamos de nos separar da McLaren antes de atingirmos nossas ambições. Contudo, Tomamos essa decisão com a crença de que é a melhor atitude para o futuro de cada um”, comentou.

“A Honda irá continuar a lutar junto da McLaren até o fim de 2017, e, depois, continuaremos nossas atividades na F1 em 2018 em diante.”

McLaren-Renault também é oficial

Em seguida do anúncio da separação com a Honda, a McLaren também confirmou que passará a contar com motores Renault a partir da próxima temporada.

O acordo foi confirmado para as próximas três temporadas, justamente o período em que irá durar o atual regulamento de unidades de potência V6 turbo híbridas.

“O anúncio nos dá a estabilidade que precisamos para seguir em frente com nosso programa de desenvolvimento de chassi para 2018 sem maiores hesitações”, disse Brown.

“Estamos convencidos de que podemos trazer real valor à Renault Sport Racing, já que trabalharemos juntos para desenvolver a atual unidade de potência em uma constante vencedora.”

Cyril Abiteboul, diretor da Renault, também celebrou a parceria: “O acordo está perfeitamente alinhado com nossa estratégia em meio prazo de estarmos em uma posição de vencer em 2020. Estamos ansiosos para ver a marca Renault nos carros da McLaren e para correr com nossos novos parceiros na pista.”

Honda confirma parceria de “múltiplos anos” com Toro Rosso

Por fim, a outra peça do quebra-cabeças que se encaixou foi a oficialização da chegada da Honda à Toro Rosso. A parceria foi confirmada com duração de “múltiplos anos”.

“Todos na Honda estão ansiosos para trabalhar com a Toro Rosso, e estamos empolgados para iniciar esse novo capítulo em nossa jornada na F1 com eles. Gostaria de expressar nossa gratidão ao Liberty Media e à FIA por sua cooperação para a realização dessa parceria”, disse o presidente da Honda. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias