Médicos detalham circunstâncias de cirurgia de Lauda

compartilhar
comentários
Médicos detalham circunstâncias de cirurgia de Lauda
Charles Bradley
Por: Charles Bradley
Co-autor: Norman Fischer
8 de ago de 2018 17:18

Segundo especialistas, ex-piloto esteve a poucos dias de morte

Niki Lauda, Non-Executive Chairman, Mercedes AMG
Toto Wolff, Executive Director, Mercedes AMG, Emilia Bottas and Niki Lauda, Non-Executive Chairman, Mercedes AMG

Niki Lauda ​​deve se recuperar totalmente após a cirurgia no Hospital Geral de Viena, na Áustria, na semana passada.

Um total de sete especialistas forneceu informações detalhadas sobre as circunstâncias que levaram à sua operação de emergência.

Marco Idzko, chefe da divisão de pneumologia do hospital, explicou: “O Sr. Lauda sofria de hemorragia alveolar. Esta é uma inflamação dos alvéolos [os sacos de ar no interior dos pulmões], que foi acompanhada por hemorragia no tecido pulmonar e no trato respiratório.”

Depois que ele ficou doente, Lauda recebeu terapia imunossupressora, o que levou a uma melhora significativa na situação respiratória.

No entanto, a doença pulmonar aguda ocorreu com 69 anos de idade, o que significa que as células do sistema imunológico no sangue migraram para os pulmões e atacaram o tecido lá.

"Isso acaba levando à destruição e perda de tecido pulmonar funcional e o paciente não consegue mais absorver oxigênio suficiente por meio de seus pulmões", acrescentou Idzko, que disse que esse cenário carrega uma alta taxa de mortalidade.

Com outras opções de terapia medicamentosa limitadas, Lauda teve que receber ventilação mecânica na unidade de terapia intensiva.

“Infelizmente, após 10 dias em tratamento intensivo, devido a um suprimento de oxigênio crítico, a terapia se intensificou”, diz o cardiologista Gottfried Heinz. “Tivemos que fazer uma substituição pulmonar mecânica, uma ECMO - uma oxigenação por membrana extracorpórea”.

Neste ponto, eles disseram que Lauda tinha uma expectativa de vida de apenas alguns dias, o que resultou em ele ser listado para transplante e atribuiu uma alta LAS (Lung Allocation Score) que mede o índice de urgência de acordo com critérios objetivos.

"Poderíamos supor que ele seria atribuído um órgão adequado dentro dos dias seguintes", disse o cirurgião Konrad Hotzenecker, que realizou o transplante na última quinta-feira juntamente com Walter Klepetko e sua equipe.

"O tempo médio de espera neste caso é de cinco dias."

Processo de recuperação

Lauda teve um novo pulmão que seus médicos dizem que se instalou bem em seu corpo.

"O pulmão tem uma excelente função primária, de modo que conseguimos remover o suporte circulatório, a ECMO, na sala de cirurgia", explicou Hotzenecker. "O pulmão transplantado assumiu bem sua função."

O diretor da cardiologia, Christian Hengstenberg, acrescentou: “Podemos afirmar que o paciente sobreviveu de forma excelente e pode ser extubado após 24 horas. Isso significa que o tubo no pulmão poderia ser removido e o paciente poderia respirar espontaneamente.”

“Isso é extremamente importante para nós e para todo o processo de cura também. Podemos ver que ele está plenamente consciente e que todas as partes estão funcionando corretamente. Tudo está completamente em ordem. É um desenvolvimento muito gratificante.”

Os médicos relataram que os pacientes podem deixar o hospital após duas ou três semanas após esta operação, embora no caso de Lauda possa demorar um pouco mais devido à situação na unidade de terapia intensiva.

Ele está recebendo um programa fisioterápico e respiratório intensivo e vários medicamentos.

Os médicos deram a Lauda um bom prognóstico de recuperação: "Nossas taxas de sobrevivência são superiores a 90% após um ano e cerca de 75% após cinco anos", disse o cirurgião torácico Peter Jaksch, que enfatizou que os pacientes geralmente têm uma boa qualidade de vida.

Klepetko disse que isso não reduziria a capacidade de Lauda de voltar ao trabalho.

"As atividades futuras não devem diferir significativamente das anteriores, se tudo correr bem", disse Klepetko.

“A situação é tal que nós realmente esperamos que ele seja capaz de retornar a uma vida que é normal para ele. O tempo dirá se alcançaremos nosso objetivo.”

Next article
RAIO-X: Quem são os novos proprietários da Force India?

Previous article

RAIO-X: Quem são os novos proprietários da Force India?

Next article

Balanço de meio de temporada: McLaren e a crise de 2018

Balanço de meio de temporada: McLaren e a crise de 2018
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Niki Lauda
Autor Charles Bradley