Mercedes admite que exigiu demais dos pneus de Bottas

compartilhar
comentários
Mercedes admite que exigiu demais dos pneus de Bottas
Por: Scott Mitchell
Traduzido por: Daniel Betting
31 de jul de 2018 18:26

James Allison, diretor técnico da Mercedes, acredita que Valtteri Bottas teve uma performance “valente” no GP da Hungria, mas sua estratégia exigiu muito dos pneus do finlandês

Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1, race winner Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1, and the Mercedes team celebrate victory
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, leads Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, leads Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H
Valtteri Bottas, Mercedes-AMG F1 W09
Valtteri Bottas, Mercedes-AMG F1 W09
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09

Bottas andou em segundo lugar com seu companheiro de equipe e vencedor do GP da Hungria, Lewis Hamilton, durante a maior parte da corrida, mas caiu para quinto no final, com os pneus desgastados e ainda fez contato com os carros de Sebastian Vettel e Daniel Ricciardo.

Seu stint com pneus macios foi dez voltas mais longas que o de Hamilton, após uma parada antecipada para cobrir a Ferrari de Kimi Raikkonen.

James Allison, diretor técnico da Mercedes, falando no vídeo pós-corrida da equipe Pure Pitwall, disse que Bottas "conduziu uma corrida extremamente brilhante e valente, mas nós pedimos a ele um pouco demais da borracha que não poderia realmente durar muito".

Bottas precisou apostar em resposta a Raikkonen para garantir que ele mantivesse a posição na pista contra um carro com a mesma estratégia - Hamilton, Bottas e Raikkonen começaram com ultramacios, enquanto Vettel estava fazendo um longo primeiro período com macios antes de trocar para ultramacios.

Leia também:

Isso significa que a Mercedes reagiu para a Ferrari parando Raikkonen na 14ª volta, então Bottas não foi pego pelo seu compatriota com pneus novos.

A Ferrari comprometeu Raikkonen com uma estratégia de duas paradas, o que deu à Mercedes uma janela para parar Bottas novamente - mas isso o teria deixado para trás de Vettel e também liberado o alemão para tentar perseguir e passar Hamilton com pneus melhores.

Allison disse que a Mercedes havia considerado uma segunda parada para Bottas sob o breve período do safety car virtual (VSC), mas decidiu pressionar pelo segundo lugar em vez de garantir um terceiro seguro.

Ele explicou que a equipe acreditava que o "pior cenário" era Bottas sumindo e caindo para trás de Vettel e Raikkonen, e que a perspectiva de um curto período do VSC também poderia ter jogado contra ele.

"Teria sido ruim para nós nos encontrarmos em terra de ninguém parando com VSC e acabando no meio do caminho", disse Allison.

“Então, no final, decidimos nos apegar à nossa arriscada estratégia de segundo lugar, pensando que na pior das hipóteses terminaríamos em quarto.”

"Como aconteceu, o segundo lugar funcionou e acabou um pouco pior para Valtteri e para nós como resultado das colisões."

Próxima Fórmula 1 matéria
Giovinazzi bate recorde e lidera teste de terça na Hungria

Previous article

Giovinazzi bate recorde e lidera teste de terça na Hungria

Next article

Todt pede para deixarem “Schumacher viver sua vida em paz”

Todt pede para deixarem “Schumacher viver sua vida em paz”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Localização Hungaroring
Pilotos Valtteri Bottas Shop Now
Equipes Mercedes Shop Now
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias