Mercedes e Renault: F1 corre risco com novos motores

Renault e Mercedes acreditam que reformulação de motores seja desnecessária com os novos regulamentos propostos para 2021

Na sequência da reunião entre os fabricantes, FIA e o Grupo da F1 para discutir uma visão para as futuras regras de motores, há preocupações de que as ideias apresentadas não sejam o que a categoria precisa.

Enquanto as propostas reveladas na terça-feira pareçam semelhantes às versões atuais, mantendo o mesmo mecanismo de 1,6 litros, mas abandonando o MGU-H para um MGU-K mais poderoso, as mudanças são suficientes para forçar os fabricantes a criar novos motores.

Na verdade, a Renault e a Mercedes estão de acordo de que a F1 seria melhor se concentrando no desejo dos fãs de ter motores com mais ruído e com mais potência. Isso pode ser conseguido por meio de uma série de medidas, incluindo o aumento do limite de rotas e as restrições de combustível, em vez de exigir centenas de milhões de dólares gastos em unidades de energia totalmente novas.

É esse aspecto que tem alarmado particularmente dois dos atuais fabricantes.

O diretor da Renault F1, Cyril Abiteboul, disse ao Motorsport.com: "Apesar do que a FOM e a FIA dizem, o que é apresentado é um novo motor. É um novo motor com muitos truques, mas é um novo motor. Realmente para mim é o elemento mais fundamental."

"Precisamos ser extremamente cuidadosos porque cada vez que chegamos a um novo regulamento que criará um novo produto, todos sabemos qual é o impacto. Isso vai abrir novamente uma corrida, e abrirá o grid mais uma vez."

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse também ao Motorsport.com: "Quando você olha para os pontos apresentados, parece que não é uma grande mudança e é superficialmente similar, mas há mudanças maciças."

"É um motor totalmente novo, com novas estratégias de colheita e implantação de energia."

"Todos nós aceitamos que os custos de desenvolvimento e o som precisam ser abordados, mas não devemos fugir da criatividade ao criar novos conceitos, porque isso irá desencadear custos paralelos de desenvolvimento nos próximos três anos."

Motores mais barulhentos e rápidos

Renault e Mercedes aceitam que os motores atuais precisam ser melhorados, especialmente em termos de som, mas acham que isso pode ser feito sem um design totalmente novo.

A Renault já sugeriu que, com mudanças que não exigem novos motores, os modelos revisados poderiam ser introduzidos já em 2019, se todos os fabricantes concordassem.

Abiteboul acrescentou: "A proposta da Renault há seis meses foi manter o motor atual, mas renunciar a qualquer tipo de restrição de combustível, além de mover a limitação do fluxo de combustível."

"A grande coisa sobre essa proposta é que você poderia fazer isso sem ter que esperar até 2021. O mundo está mudando rapidamente, até 2022 vários fabricantes de carros terão mudado para algo que é muito mais elétrico do que hoje."

Novos fabricantes

Enquanto a FIA e o Grupo da F1 esperam que as novas regras de motor atraiam novos fabricantes, Wolff acha que é um erro ignorar os interesses da concorrência atual.

"Em primeiro lugar, a F1 precisa ser atrativa para os atuais fornecedores de motores e, em seguida, a ela deve ser atraente para os novos operadores", afirmou. "Esta é a ordem de prioridade."

"Precisamos entrar em um diálogo agora para criar um conceito que funcione para todos, e estamos interessados em entrar nesse diálogo."

Abiteboul concordou que as propostas apresentadas devem ser vistas apenas como um ponto de partida para o que serão longas discussões.

"Eu acho que não é uma coisa ruim ter uma visão, porque acho que demorou muito para entender o que era a posição de Liberty em vários temas", disse ele. "É bom começar de um ponto de partida, não como ponto final."

A Ferrari ainda não falou sobre as propostas, enquanto a Honda recusou se envolver no debate.
Um porta-voz da Honda disse: "Como nada foi acordado especificamente entre as partes relacionadas, a Honda não comentará sobre este assunto nesta fase."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias