Mercedes: Estaremos sempre “no limite da confiabilidade"

Equipe campeã pondera regras sobre uso de unidades de potência em 2018

A Mercedes produziu o motor mais confiável da F1 em 2017, com o campeão mundial, Lewis Hamilton, sendo o único piloto da Mercedes a ter que pagar punição de grid, que só surgiu graças a uma mudança tática, depois de erro na classificação do GP do Brasil.

O novato da Williams, Lance Stroll, foi obrigado a reverter para uma antiga unidade depois de uma falha no treino na mesma corrida, e Valtteri Bottas teve que reverter para um motor antigo que falhou na Espanha, mas, de outra forma, não houve grandes preocupações de confiabilidade para os carros da Mercedes.

As regras da F1 de 2018 restringirão ainda mais o uso do motor, reduzindo o limite a três para a temporada.

Os pilotos receberão apenas três MGU-Hs e três turbos para usar. O uso de MGU-KS, Control Electronics e Energy Stores será limitado a apenas dois por piloto em 21 corridas.

O engenheiro-chefe de motor da Mercedes, Phil Prew, disse ao Motorsport.com que levaria a unidade de potência de 2018 ao limite da confiabilidade.

"Para ser sincero, sempre estaremos no limite porque você sempre vai querer exigir o desempenho até a durabilidade da unidade de energia", disse ele.

"É fácil não exigir da unidade de energia e encontrar confiabilidade, não queremos isso, isso não vai nos trazer campeonatos.”

"Então, estaremos ocupados compreendendo nossas limitações atuais, entendendo como podemos continuar a conseguir mais quilometragem dos motores, mais quilometragem dos sistemas híbridos elétricos, para que possamos superar o campeonato do próximo ano com o número permitido de unidades."

A Mercedes fez revisões substanciais para o seu motor de F1 para 2017, em particular para os componentes híbridos.

Prew descreveu o trabalho da equipe na confiabilidade do motor como "absolutamente infinito" e disse que qualquer revisão da arquitetura para 2018 seria feita "caso a caso".

"Abordamos todas as limitações, todos os componentes do motor com base no que precisa fazer", acrescentou Prew.

"Estamos bastante limitados pelas regras, em termos de capacidade em turbos e energia elétrica, etc., todos estão definidos nos regulamentos.”

"Se precisar mudar, mudará para alcançar confiabilidade e desempenho; se não, então ficamos com algo que conhecemos.”

"Realmente, tudo será caso a caso, mas os requisitos estão muito claros."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias