Mercedes nega que vantagem em classificação venha do duto passivo

Como a performance do time é muito melhor aos sábados do que aos domingos, rivais pressionam FIA para banir sistema dos alemães

A Mercedes tem apenas um ponto no campeonato

Mesmo com a FIA tendo ratificado que o duto passivo usado pela Mercedes, que usa a ativação da DRS para alimentar, por meio de um sistema de tubos, a asa dianteira e melhorar sua aerodinâmica nas retas, as equipes ainda não se conformaram que a engenhosa solução esteja dentro do regulamento.

A posição da entidade é de que o duto é legal por não necessitar da ativação direta do piloto, ao contrário do inventado pela McLaren no início da temporada 2010, cuja adaptação nos carros de algumas equipes obrigava os pilotos a tirarem as mãos do volante.

Mas o fato da Mercedes ter um desempenho muito melhor em classificação, quando a DRS e, consequentemente, o duto passivo, são amplamente utilizados, e cair durante as corridas vem fazendo com que as equipes reclamem que o sistema dá uma vantagem ilegal ao time alemão.

É uma crítica que o chefe da divisão de automobilismo da Mercedes, Norbert Haug, não gosta nada de ouvir. “Temos de viver com isso até que o carro seja rápido na corrida, mas não é verdade que não temos um bom carro. Somos uma equipe séria que não precisa fingir nada, nos preparamos bem nos testes”, disse ao Sport Bild.

Mas, para o chefe da equipe, Ross Brawn, toda briga sobre o duto da Mercedes é apenas uma distração: o problema são as soluções encontradas por algumas equipes, especialmente a McLaren, para suprir o banimento do escapamento soprado no difusor. “[As soluções de algumas equipes] provavelmente não são o que eles [FIA] tinham em mente quando o difusor soprado foi banido. É legítimo que possamos pedir uma clarificação para a FIA, caso contrário estaríamos perdendo algo importante. É parte do jogo.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias