Mercedes se diz alerta para evitar fracasso da McLaren em 2007

compartilhar
comentários
Mercedes se diz alerta para evitar fracasso da McLaren em 2007
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
15 de out de 2018 12:16

Chefe da equipe fala que não pode dar as coisas como encerradas apesar de grande vantagem na pontuação

Chefe da Mercedes, Toto Wolff disse que o colapso da McLaren no final de 2007 significa que sua equipe não pode se dar ao luxo de relaxar e pensar que a batalha do campeonato da Fórmula 1 acabou.

Uma série de quatro vitórias consecutivas de Lewis Hamilton o deixou com 67 pontos de vantagem sobre Sebastian Vettel na classificação dos pilotos, faltando apenas quatro corridas.

Se ele vencer em Austin neste fim de semana, com Vettel não conseguindo melhor que um terceiro lugar, isso será o suficiente para Hamilton conquistar seu quinto título mundial.

Mas, apesar da forte posição da equipe, Wolff teme que algo inesperado aconteça, e cita 2007 como um exemplo clássico.

Naquela época, sob a velha estrutura de pontos, Hamilton tinha uma vantagem de 17 pontos sobre Kimi Raikkonen, com apenas duas corridas da temporada, o que significava que ele precisava apenas de um terceiro lugar para conquistar o título.

Mas um acidente a caminho dos boxes na China e um problema na caixa de câmbio na última corrida no Brasil deixaram a porta aberta para Raikkonen conquistar o mundial.

Falando sobre o impacto da considerável vantagem que a Mercedes tem para a corrida deste fim de semana em Austin, Wolff disse: "Isso não muda nada. Em 2007, faltavam duas corridas, 45 pontos nos pontos de hoje e Lewis perdeu o campeonato”.

"Alguém já pensou que você poderia perder 45 pontos em duas corridas? Impossível. A corrida acontece no domingo, e não necessariamente o carro mais rápido vence. Tivemos um momento no verão em que não fomos o carro mais rápido e conseguimos algumas vitórias. Eu não gostaria de tirar o pé por causa de um abandono e uma corrida maluca. Isso faria tudo desaparecer."

Embora a Mercedes tenha trabalhado arduamente desde sua derrota no GP da Bélgica, para maximizar suas oportunidades, ele reconhece que há pouco que pode fazer para evitar que circunstâncias estranhas entrem em cena.

Wolff acrescentou: "os incidentes malucos acontecem em todos os lugares e um abandono e um resultado ruim de repente acabam com uma grande parte dos seus pontos.”

"Eu sei do ponto de vista da probabilidade que não parece que pode acontecer, mas isso é automobilismo, é um esporte, tudo pode acontecer. Eu não quero nem pensar nele quebrando um dedo. Quero dizer, qualquer coisa pode acontecer em corridas de automóveis.”

"Eu não quero insistir muito sobre isso, porque isso é um mau karma também, então vamos lá. Vamos para Austin, vamos ter um forte fim de semana e depois fechar o campeonato."

Toto Wolff, Mercedes AMG F1 Director of Motorsport, celebrates pole for Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1

Toto Wolff, Mercedes AMG F1 Director of Motorsport, celebrates pole for Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1

Photo by: Steve Etherington / LAT Images

Next article
Hakkinen só voltaria a correr "para chutar alguns traseiros"

Previous article

Hakkinen só voltaria a correr "para chutar alguns traseiros"

Next article

Renault: “F1 recompensa o quanto você gasta, não como gasta”

Renault: “F1 recompensa o quanto você gasta, não como gasta”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes Shop Now
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias